ANGOLA. O editorial do Jornal de Angola defendeu hoje que Lisboa e Luanda têm mais a ganhar se olharem para o futuro e não perderem tempo com o passado, de forma a melhorem o futuro das suas relações.

“Na verdade, Angola e Portugal têm muito a ganhar com a necessidade de se ganhar mais tempo com assuntos a tratar para melhorar o futuro das relações, em vez de se perder tempo com aspectos do passado e situações pontuais, mas plenamente superáveis. Não precisamos de esperar que as relações entre os dois Estados sejam perfeitas ou livres das eventuais fricções, próprias das relações que envolvem os seres humanos”, refere o editorial.

No texto, intitulado “Angolanos e Portugueses Inauguram Nova Era”, o diário estatal angolano alude à visita de Estado de três dias que o Presidente de Angola, João Lourenço, efectua a partir de hoje a Portugal, deslocação que, lê-se, é “aguardada com muita expectativa” nos dois países.

“A nova fase que está a ser inaugurada pelas autoridades angolanas e lusas representa o culminar da viragem de uma página menos boa a nível das relações políticas, que felizmente passou a ser superada. Hoje, ninguém pretende que se fale sobre o ‘irritante’ na medida em que, como aconselham todas as perspectivas de relançamento das relações bilaterais, todos pretendem olhar para frente”, escreve o jornal.

“O mais importante é que as autoridades angolanas e lusas sejam capazes de ultrapassar os imprevistos que tendem a atravessar as relações, como tem sido ao longo de mais de 40 anos de laços políticos, diplomáticos, económicos e culturais, na base do respeito mútuo”, lê-se no editorial do Jornal de Angola.

Realçando a agenda “bastante preenchida” de João Lourenço, e além dos encontros institucionais, o Jornal de Angola destaca o encontro do chefe de Estado com representantes da comunidade angolana em Portugal, o primeiro que “este segmento da diáspora” tem em muitos anos.

No editorial, o Jornal de Angola refere também ter sido “bom” ouvir as declarações do primeiro-ministro português, António Costa, na entrevista transmitida na quarta-feira à Rádio Nacional de Angola, a partir de Lisboa, relativamente às expectativas ligadas à visita de Estado do Presidente angolano.

“O reforço das relações bilaterais em domínios que precisam de ser desenvolvidos, no âmbito da diversificação da economia, continua como a principal ‘raison d’être’ da visita de Estado [de João Lourenço a Portugal]”, lê-se.

O editorial realça também a importância do Fórum Económico e Empresarial Portugal/Angola, que contará na sexta-feira, no Porto, com intervenções de João Lourenço e de António Costa, “oportunidade relevante para os empresários e os empreendedores dos dois países”.

“Esperamos que, daqui para a frente, estejam a ser lançadas as sementes para a construção de laços políticos, diplomáticos, económicos e culturais que permitam ‘sepultar’ para sempre o ‘irritante’ e inaugurar uma nova era”, termina o editorial.

Lusa

Partilhe este Artigo