Os estudantes residentes na cidade de Mbanza Kongo queixam-se de dificuldades em consultar a biblioteca local, encerrada parcialmente pelas autoridades sem uma explicação aos utilizadores. A biblioteca foi inaugurada a 4 de Abril de 2013 pelo governador do Zaire, José Joana André “Joanes”.

Segundo o estudante universitário Nsalambi Waku Samuel, que lidera um protesto a favor da reabertura da Biblioteca municipal de Mbanza Kongo “a instituição não funciona. Fui para lá e encontrei-a fechada. Segundo os moradores a mesma não funciona. Está completamente abandonada. No acto da sua inauguração em 2013 haviam emprestado os livros à Universidade 11 de Novembro e depois devolveram. Em 2016 havia feito uma reclamação em relação a isso na administração Municipal e no dia seguinte encontrei-a aberta, mas praticamente sem livros,” denunciou o activista dos direitos humanos.

Os dados do Censo populacional orientados pelo Instituto Nacional de Estatística apontam que a cidade de Mbanza Kongo tem cerca de 155 mil habitantes e cerca de vinte e três escolas.

Para a cidadã Jacinta Eduarda, antiga utilizadora do espaço “é triste ver e ler coisas do género, gastou-se milhares de dólares para a construção desta “casa” que poderia acolher os jovens dos diferentes estratos sociais, mas o resultado é este estado de abandono. Acho que este governo não tem interesse no desenvolvimento intelectual da comunidade local” lamentou a antiga utilizadora da Biblioteca.

Julho de 2012

Uma biblioteca, com duas salas, uma de leitura e uma de Internet, será inaugurada em Agosto (2012), na cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, numa acção do governo provincial para responder às necessidades dos estudantes dos mais variados níveis de ensino da localidade.

Esta informação foi prestada à Angop pelo director provincial das obras públicas, Augusto Tiago, que fazia a radiografia dos projectos em fase de conclusão na sede provincial.

O responsável apontou ainda a construção de um edifício administrativo de um piso para albergar vários organismos públicos, subdividido em bloco para escritórios e um anfiteatro com a capacidade de 400 lugares ou assentos.

Explicou que os escritórios são do tipo “Open Space” (espaço aberto) de grandes dimensões, em que apenas os chefes dos sectores terão gabinetes privativos, enquanto as direcções, departamentos e repartições estarão confinadas num único espaço aberto.

As obras deste edifício tiveram início em Janeiro de 2012 e com o término previsto para Dezembro.

Apontou ainda a construção de residências para quadros locais, cujo programa comporta 13 casas de tipo T3 e duas outras de tipo T4, em curso nesta cidade, que deverão também ser inauguradas em Agosto deste ano.

Assegurou que o projecto habitacional é contínuo e resultou já na edificação de outras residências de diversos tipos na sede provincial e nos demais municípios da região, para além de outros empreendimentos sociais, como hospitais, escolas, comandos municipais da polícia nacional, entre outros.

Junho de 2017

A cidade de M’banza Kongo, capital da província do Zaire, ganhou uma moderna biblioteca denominada Kimpa Vita, em memória da profetisa, que no reino do Kongo foi destacada como símbolo da resistência contra o colonialismo português.

Inaugurada pelo governador José Joanes André, a instituição foi construída no âmbito do Programa de Investimentos públicos (PIP) e possui uma sala de informática, com 21 computadores ligados à internet, uma outra de estudos e leitura, uma sala de arquivos, área administrativa, entre outros compartimentos.

O imóvel conta inicialmente com um acervo bibliográfico composto por sete mil livros de diversos autores, nacionais e estrangeiros, incluindo obras infantis.

Após o corte da fita e o descerrar da placa, o governador Joanes André fez uma visita guiada as áreas do imóvel e entregou as chaves do empreendimento à administradora municipal, Isabel Nlandu Morena.

Na ocasião, Joanes André entregou igualmente quatro exemplares da sua recente obra bibliográfica intitulada “Infra-estruturas Integradas e saneamento Básico em Angola”, lançada em finais de 2012 na cidade de M’banza Kongo.

Foto: Inauguração da Biblioteca pelo governador provincial, José Joanes André

Partilhe este Artigo