Em entrevista à rádio francesa RFI, Georges Rebelo Chikoti, ministro dos Negócios Estrangeiros de Angola, confirmou que o chefe de Estado, José Eduardo dos Santos está em Espanha por motivos de saúde, mas desvalorizou ausência.

Questionado sobre a saúde de José Eduardo dos Santos, Georges Chikoti garantiu que o Executivo não está preocupado, mas confirmou aquilo que já vinha a ser avançado por vários rumores, que Eduardo dos Santos está em Espanha por motivos de saúde.

“Não, não [estamos preocupados]. Está tudo bem. Sabe que na vida isso acontece a todos nós, em algum momento não nos sentirmos bem o suficiente. Mas ele está bem. Por isso está em Espanha, mas quando se sentir melhor irá regressar”, disse o ministro à RFI.

Questionado sobre se Eduardo dos Santos teve o acidente vascular cerebral, Chikoti não confirmou esta informação, limitando-se a dizer que é “o presidente dos Santos faz regularmente consultas e são em Espanha. Portanto, é normal que esteja lá”.

Em causa estarão notícias de um alegado agravamento do estado de saúde do líder de angolano, o que está ainda por confirmar oficialmente.

Escreveu o Folha 8 que José Eduardo dos Santos foi obrigado a regressar de urgência a Espanha, Barcelona, estando em causa o tratamento de uma doença de foro oncológico. O estado de saúde do presidente estará, segundo o Maka Angola a “causar grande apreensão entre as figuras cimeiras do MPLA, o partido que governa Angola há quase 42 anos”.

Face a estas notícias, Isabel dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos, criticou através da rede social Instagram aqueles que “inventam notícias de morte” com o objectivo de “criar confusão e tumulto político em Angola”.

Na sequência dos rumores também o activista Luaty Beirão se manifestou, através da rede social Facebook. “As notícias não são boas, nada boas. Há alguns anos que andamos a receber sinais da degradação do estado de saúde do Presidente da República e constatando o óbvio: o que quer que seja que lhe esteja a consumir, está a avançar e parece ser irreversível. (…) José Eduardo fez muito mal a este país e a este povo sofrido, mas a morte é uma saída muito fácil de cena. Ele deve continuar vivo (…) para ver que não irá ser lembrado como um “bom patriota” pela longa lista de tropelias da qual foi promotor. (…) Rápidas melhoras senhor presidente”, pode ler-se na publicação do activista.

Entretanto, a oposição Angola também pediu, a 17 de maio, esclarecimentos oficiais sobre o estado de saúde do presidente José Eduardo dos Santos. “Estamos todos preocupados com a falta de informação oficial sobre o estado de saúde do presidente da República”, disse à AFP Rafael Savimbi, filho de Jonas Savimbi, ex-líder da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), principal partido da oposição. “Recebi mensagens sobre o estado de saúde extremamente grave de José Eduardo dos Santos. Precisamos de sérias e claras explicações”, acrescentou Agostinho dos Santos, um analista político próximo à oposição.

O jornal do Estado, Jornal de Angola, confirmou no dia 2 de maio que o presidente estava em “visita privada” na cidade catalã.

Lusa

Partilhe este Artigo