NOTÍCIA ACTUALIZADA. O vice-presidente da UNITA, Raúl Danda, contestou hoje o anúncio de vitória do MPLA nas eleições gerais angolanas, exortando a Comissão Nacional Eleitoral “a ter a coragem de divulgar os resultados provisórios reais” que vão chegando aos partidos. CASA-CE diz a mesma coisa.

“N ão sei de onde o MPLA está a tirar este resultado. Nós estamos a falar daquele que é o resultado real, e que estamos à espera que a CNE tenha coragem de divulgar. Não sabemos porque não o fez até agora”, disse Raúl Danda.

O MPLA anunciou hoje que, com cinco milhões de votos escrutinados em todo o país, tem a “maioria qualificada assegurada” e a eleição de João Lourenço para Presidente da República.

A informação foi transmitida, cerca das 11:50, na sede nacional do MPLA, em Luanda, pelo secretário do Bureau Político, para as questões políticas e eleitorais, João Martins, em declarações aos jornalistas.

“Temos vindo a fazer a compilação dos dados que os nossos delegados de lista nos têm remetido, das actas síntese que obtiveram das assembleias de voto a nível de todo o país. E, numa altura em que temos escrutinado acima de cinco milhões de eleitores, o MPLA pode garantir que tem a maioria qualificada assegurada”, disse o responsável do MPLA.

A UNITA diz que os resultados que lhe estão a chegar contradizem o anúncio do MPLA. Mas, bem vistas as coisas, quem manda no reino é o MPLA e a CNE nada mais é do que uma sucursal do MPLA, a ponto de – como escrevemos hoje aqui no Folha 8 – impedir a entrada dos Delegados de Lista dos partidos políticos da oposição, sobretudo, os presidentes de Mesas de Voto das mesmas organizações políticas, no Centro de Escrutínio Nacional.

“O resultado que nos está a chegar das mesas e das actas-síntese das assembleias de voto, que devem estar afixadas, contradizem completamente isso que o MPLA está a tentar dizer”, sublinhou o vice-presidente da formação do Galo Negro, Raúl Danda. Ao contrário do que afirma Danda, o MPLA não “está a tentar dizer”. Diz mesmo.

“Não é só o MPLA que está a fazer contagem. A UNITA também se preparou para fazer contagem e estamos a fazê-lo com base nas actas, nas contagens feitas nas assembleias de voto”, salientou.

Também Lindo Bernardo Titto, em nome da CASA-CE, lembra que cabe à Comissão Nacional de Eleições anunciar o resultado das eleições de ontem. É verdade. Mas, é preciso compreender, que a CNE só revelará o resultado quando o MPLA lhe enviar esses mesmos resultados. Isto porque, convenhamos, desde 2008 e 2012 todos sabemos que quem faz a contagem oficial é o MPLA.

Lindo Titto refere que a divulgação de dados eleitorais como certos por parte do MPLA pode ser uma forma de influenciar a população para um resultado que não é o correcto.

A UNITA anunciou que os dados obtidos pelo seu centro de escrutínio das eleições gerais, com dois milhões de votos apurados, apontam para uma diferença de sete pontos percentuais para o MPLA, que segue na frente.

A informação foi prestada à Lusa por Adalberto da Costa Júnior, dirigente da UNITA e membro da equipa de coordenação do centro de escrutínio do maior partido da oposição, que, com dados de 6.150 mesas de voto, colocam o MPLA com 47,60% da votação.

A UNITA, neste escrutínio paralelo – a Comissão Nacional Eleitoral (CNE) não divulgou até ao momento qualquer resultado oficial – com dados de cerca de dois milhões de votos, tem 40,20%, a coligação CASA-CE 9,15%, o PRS 1,55%, a FNLA com 1,10% e a APN com 0,40%.

“Mas temos de ressalvar que já temos as actas síntese das assembleias de voto de Cacuaco e de Viana (dois dos municípios mais populosos do país) e do Huambo, em que os resultados são extremamente favoráveis à UNITA. Vamos aguardar pela sua inserção no sistema”, apontou Adalberto da Costa Júnior.

A UNITA anunciou a intenção de actualizar estes dados quando os totais das atas sínteses inseridas no seu centro de escrutínio chegarem aos 55% das mesas de voto.

Partilhe este Artigo