Um grupo angolano com sede na província da Huíla pretende investir 280 milhões de euros numa unidade para produzir frangos e ovos, o quinto projecto do sector agrícola que planeia para o sul do país.

Em causa estão propostas de investimento apresentadas pela sociedade S. Tulumba Investimentos e Participações que podem ascender a mais de 500 empregos, segundo despachos governamentais tornados públicos.

O mais recente destes cinco projectos em carteira prevê a instalação de uma unidade avícola para a produção de frangos e ovos, na província do Cunene, avaliado em 313,7 milhões de dólares (278 milhões de euros).

Sobre este investimento, sua majestade o rei de Angola, José Eduardo dos Santos, por despacho de 8 de Junho, criou uma comissão de negociação de facilidades e incentivos para o projecto.

Em Maio, tinham já sido nomeadas comissões para outros três projectos do grupo do empresário Silvestre Tulumba, o primeiro dos quais implicando um investimento de 366,9 milhões de dólares (325 milhões de euros) numa unidade agro-industrial para produção de rações, a instalar no município de Calueque.

O segundo projecto ascende a 127,5 milhões de dólares (113 milhões de euros) e envolve a instalação de uma unidade industrial de moagem de cereais, milho e trigo, no mesmo município, na província do Cunene.

Na mesma linha, o grupo prevê gastar 164 milhões de dólares (145 milhões de euros) para instalar uma unidade para produção e comercialização de carne e leite, além de, com o quarto projecto de investimento, 366,7 milhões de dólares (325 milhões de euros) instalar uma fábrica de produção e transformação de açúcar.

No total, as cinco propostas ascendem a um investimento projectado de 1.338 milhões de dólares (1.186 milhões de euros) na província do Cunene.

Angola vive desde 2015 uma profunda crise económica e financeira decorrente da quebra das receitas com a exportação de petróleo e já este ano o Governo lançou um programa que visa diversificar a economia, reduzindo as importações e aumentando as exportações, tendo a agricultura como um dos pilares.

Quem é Silvestre (“Kundi Paihama”) Tulumba

Silvestre Tulumba Kaposse, é um antigo motorista de táxi que, pela mão sempre generosa do general Kundi Paihama – se tornou-se num dos mais notáveis e acarinhados empresários do regime.

Tulumba começou como taxista na cidade do Lubango, actividade que exerceu até 2002, dedicando-se depois à compra e venda de viaturas e tinha como principal cliente o governo provincial da Huíla.

Com a ajuda de um amigo obteve aos bênçãos vitais para que o então ministro da Defesa Nacional, Kundi Paihama, tomando conta da compra e venda de viaturas no Sul do país. Embora de forma incorrecta, por ser falsa, passou a ser conhecido como o “sobrinho de Kundi Paihama”.

Segundo relara o Club-k, “a fama de ser “sobrinho” de Paihama surgiu em Abril de 2006, quando Tulumba completou 25 anos de idade e convidou o general Paihama. Nesta festa que se realizou no restaurante Enigma, o general Kundi Paihama pediu a palavra para enaltecer o jovem empresário aniversariante e os seus irmãos apresentando-os como se fossem seus netos”.

Paihama teria dito mais ou menos isto: “Estes aqui são meus netos, estão a dizer que eles vendem droga e estão envolvidos nos negócios da camanga, quem meter-se com eles vai se ver comigo”.

Em 2007, Tulumba e os seus irmãos criaram a empresa de transporte SRR (Silvestre, Rui, Rafael), cuja actividade para além de venda de viaturas, era o transporte de combustível da petrolífera da regime Sonangol sobretudo para as Lundas. Nas eleições de 2008, a sua empresa vendeu carrinhas usadas para a campanha do MPLA.

Em Junho de 2009, foi criada a empresa privada Serviços Executivos Aéreos de Angola, Lda. (SEAA) na qual Tulumba era o principal gestor. Em Outubro desse ano, a brasileira Embraer anunciou a venda de três jactos usados para a SEAA.

Os aviões foram inicialmente usados para apoiar os governos províncias mas depois a SEAA faliu e as aeronaves foram vendidas para a uma empresa angolana Air26, do dirigente do MPLA, Frederico Cardoso. A Air26 foi à falência poucos anos depois.

Durante a campanha das eleições de 2012, o empresário Tulumba organizou um almoço para uma delegação do MPLA, chefiada pelo Presidente Dos Santos e que teve lugar no hotel Serra Chela pertencente a Tulumba.

Nesse almoço, Tulumba teve o privilégio de se sentar ao lado de José Eduardo dos Santos. Diz-se que desde então, sempre que há eventos promovidos pela Presidência angolana ou pelo MPLA, em Luanda ele passou a ser convidado.

Desde 2013, que Tulumba se mudou para Luanda. Estendeu a sua rede de contactos e aproximou-se da deputada Tchizé dos Santos. Ambos vivem no mesmo condomínio, em Luanda apesar de se terem conhecido no Lubango.

Nas eleições de 2008, Tulumba ofereceu a cada governador provincial uma viatura de marca Land Cruizer. Em Outubro de 2011, ofereceu 30 mil dólares a cada jogadora de basquetebol da selecção feminina de Angola (campeã africana). Em Abril, desse mesmo ano, por ocasião da data do seu aniversario, no Lubango, convidou vários dirigentes do MPLA e Ministros idos de Luanda, muitos dos quais não eram conhecidos seus. Tulumba responsabilizou-se pela hospedagem no seu hotel Serra da Chela. Tem à sua disposição um avião Falcon, usado para fins particulares. Pelo menos é com este avião que teria efectuado uma viagem aos EUA.

Partilhe este Artigo