O Bloco Democrático repudia e contesta a decisão do Presidente da República e Chefe do Executivo, exarada em despacho presidencial, no qual nomeia a sua filha, Isabel dos Santos, para o cargo de Presidente do Conselho de Administração da Sonangol, conferindo-lhe poderes para efectuar reformas profundas na estrutura e no funcionamento da maior empresa pública nacional.

O BD entende, de acordo com um comunicado assinado pelo seu Presidente, Justino Pinto de Andrade, que “tal atitude atenta contra o espírito da Constituição da República, contra a Lei da Probidade Pública (Lei nº3/10 de 29 de Março), contra a moral e a ética política”.

“O Bloco Democrático constata, mais uma vez, que tal prática decorre dos vícios de gestão assentes no nepotismo, e visa a imposição ao país de uma indisfarçada linhagem monárquica”, di o comunicado, acrescente que, “face à gravidade do acto do Presidente da República, o Bloco Democrático insta o Plenária do Tribunal Supremo, no âmbito das suas competências, a proceder à suspensão da eficácia do acto administrativo em causa”.

Neste contexto, o BD “saúda as expressões de repúdio manifestadas pelos partidos políticos com assento parlamentar, a UNITA e a CASA-CE, bem como de um grupo de advogados independentes, e apela a que estes partidos se juntem ao Bloco Democrático e a todas as forças vivas da Nação, no sentido de se dar continuidade à luta pelo resgate da cidadania, da democracia participativa e do combate a corrupção e ao nepotismo”.

Partilhe este Artigo