GABÃO. Pelo segundo dia consecutivo Libreville, a capital do Gabão, foi palco de violentos protestos contra a reeleição do Presidente Ali Bongo, numa votação renhida que os apoiantes do candidato rival, o antigo Presidente da União Africana. Jean Ping, dizem ter ficado manchada por fraudes.

A Reuters noticiou que ao amanhecer havia registo de tiroteios e saques em pelo menos nove bairros da capital. Um jornalista da AFP conta que na avenida frente ao Parlamento nacional, incendiado quarta-feira por manifestantes, vários edifícios e automóveis foram também destruídos pelas chamas. Os habitantes adiantam ainda que o acesso à Internet foi cortado, horas depois de as redes sociais terem sido bloqueadas.

Segundo o ministro do Interior, mais de mil pessoas foram detidas desde quarta-feira – mais de 600 só em Libreville – e há registo de pelo menos três mortos, cujas identidades não revelou.

Em entrevista à BBC, Ping afirmou que um helicóptero da guarda presidencial bombardeou a sede da sua campanha, provocando a morte de dois ocupantes. Um responsável do Governo respondeu que a operação foi lançada para eliminar os “criminosos” responsáveis pelo incêndio no Parlamento.

Partilhe este Artigo