Isabel dos Santos, indiferente à crise petrolífera do país onde o seu pai é rei, continua a não ter dificuldades em descobrir os ovos de ouro suficiente para desta vez, tomar uma posição relevante no capital da estrangulada empresa portuguesa Efacec, especializada nos sectores da electrónica e de electromecânica.

A notícia surge no mesmo dia em que mais de uma centena de trabalhadores se concentrou em frente às instalações da empresa em Leça do Balio, concelho de Matosinhos, distrito do Porto, para reivindicar aumentos salariais.

Recorde-se que a empresa, controlada em partes iguais pelos grupos José de Mello e Têxtil Manuel Gonçalves, procura um parceiro que permita a sua sobrevivência.

No final do ano passado surgiram notícias que apontavam para o interesse da filha do presidente vitalício José Eduardo dos Santos. Esta é, aliás, uma situa recorrente em Portugal. Sempre que alguma empresa está em apuros, o primeiro S.O.S. é dirigido ao clã que governa Angola desde 1979. Reconheça-se em abono da verdade que os altos dignitários do regime quase sempre abrem os cordões à bolsa.

Constituída em 1948, embora com uma história centenária a Efacec é o maior grupo eléctrico de capitais portugueses. Tem mais de 3900 colaboradores e está presente em mais de 65 países, nos cinco continentes.

Notícia em actualização

Partilhe este Artigo