Bruxelas divulgou hoje a ‘lista negra’ das companhias aéreas proibidas de voar para a União Europeia (UE), registando “progressos” no caso de Moçambique, mas ainda insuficientes para as transportadoras do país receberem luz verde para operar na Europa.

A comissária europeia para os Transportes, Violeta Bulc, disse estar “satisfeita por ver que se registaram progressos em alguns países cujas transportadoras estão incluídas na lista, nomeadamente Filipinas, Sudão, Moçambique e Zâmbia. Esperemos que estes progressos possam levar a uma decisão positiva no futuro”-

Na “lista negra” constam um total de 310 empresas de 21 estados, a maioria dos quais africanos, incluindo Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe, com excepções para o primeiro país.

A transportadora angolana TAAG pode operar na UE com um total de nove aviões de tipo Boeing, cinco B777 e quatro B737-700, que fazem ligação a Lisboa.

A Líbia entrou na lista porque “a situação no país impede que a Autoridade de Aviação Civil cumpra as suas obrigações referentes à segurança”, esclareceu a comissária.

Partilhe este Artigo