Várias actividades culturais estão a ser proteladas em Angola, nomeadamente espectáculos musicais e de moda, como “medidas de precaução” à pandemia do novo coronavírus, apesar do país não registar qualquer caso confirmado. Entre as actividades adiadas, está o espectáculo musical “Vozes de Março”, agendado para 27 e 28 deste mês, em Luanda, uma medida que segundo a produtora Nova Energia surge para “prevenir e evitar a propagação do vírus”.

Em comunicado hoje divulgado, a organização, que se manifesta “preocupada com a rápida evolução” do novo coronavírus a nível do mundo, o espectáculo será remarcado numa data a indicar.

A 23ª Edição do “Moda Luanda”, prevista para dia 27, foi igualmente adiada para 10 de Abril, em cumprimento das orientações das autoridades angolanas que exortam para se evitar a aglomeração de mais de 200 pessoas em espaços públicos.

Por sua vez, a produtora de espectáculos músico-culturais Clé Entertainment anuncia, em comunicado, o “adiamento de todas as actividades de massas durante este período de instabilidade que o mundo enfrenta” fruto da propagação da Covid-19.

“É tempo de nos preservarmos, cuidarmos dos nossos e da nossa saúde”, lê-se na nota.

Angola desenvolve acções de sensibilização e reforço das medidas de vigilância epidemiológica nos 32 pontos de entrada espalhadas pelo país.

Também a Federação Angolana de Futebol (FAF) decidiu a realização de jogos à porta fechada, “em cumprimento das recomendações das autoridades angolanas”, como medida de precaução contra a pandemia de Covid-19

A informação foi transmitida pelo director do conselho técnico da FAF, Geremias Simão, referindo que a decisão surge à luz do comunicado da Comissão Interministerial para Resposta à Pandemia de Covid-19, que, na terça-feira, pediu que se evitem eventos públicos com mais de 200 pessoas.

Segundo o dirigente federativo, “se necessário” poderão igualmente suspender os jogos “caso as autoridades governativas assim entenderem”.

Na terça-feira, Geremias Simão tinha dito que “ainda não se justificava” a suspensão dos jogos do campeonato nacional e a restrição de aglomeração de adeptos devido à pandemia de Covid-19, admitindo que a restrição do público nos estádios era uma questão a ser equacionada.

Angola, sem registos de casos confirmados, desenvolve planos de contingência e medidas de controlo nos principais pontos de entrada do país e decretou, a partir de 3 de Março, a proibição da entrada de cidadãos estrangeiros oriundos da China, Coreia do Sul, Irão, Itália, tendo alargado na terça-feira para Portugal, Espanha e França com quarentena obrigatória.

O surto começou na China, em Dezembro, e espalhou-se já por 170 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infectou mais de 210 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.750 morreram. Das pessoas infectadas, mais de 84.000 recuperaram da doença.

A China anunciou hoje não ter registado novas infecções locais nas últimas 24 horas, o que acontece pela primeira vez desde o início da pandemia. No entanto registou 34 novos casos importados.

O surto começou na China, em Dezembro, e espalhou-se já por 173 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Folha 8 com Lusa