Angola registou as duas primeiras mortes de pessoas infectadas com o vírus da Covid-19, sendo que estas duas vítimas faziam parte dos sete casos positivos, anunciou hoje a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta. Os dois cidadãos angolanos morreram no sábado, indicou a governante. Um dos cidadãos, de 59 anos, residente habitual em Portugal, tinha chegado a Angola no dia 12 de Março.

“E steve internado nos últimos dias na clínica Girassol e teve um quadro com uma evolução muito rápida, com insuficiência respiratória”, precisou Sílvia Lutucuta, explicando que o paciente tinha outras doenças associadas.

O segundo caso, um homem de 37 anos, angolano, residente em Luanda, chegou de Lisboa no dia 13 de Março e esteve internado uma semana.

Sílvia Lutucuta afirmou que foram processadas até hoje 370 amostras com sete resultados positivos, estando 21 em processamento.

A ministra da Saúde adiantou que está a ser feito um “rastreio em massa dos viajantes provenientes de voos de risco” que se encontram nos centros de quarentena.

O trabalho já foi concluído no centro de Calumbo II, está a ter continuidade no Calumbo I e será feito também em breve no centro de Victoria Garden.

Neste momento encontram-se em quarentena institucional, em todo o país, 1.089 pessoas, das quais 547 na província de Luanda.

“Continua a observância do estado de emergência”, salientou a responsável da pasta da Saúde, voltando a apelar para a consciencialização dos angolanos, “para que seja feito desde já o corte da cadeia de transmissão. “Ficar em casa é a melhor solução”, destacou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infectou mais de 667 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 31.000. Dos casos de infecção, pelo menos 134.700 são considerados curados.

O número de mortes causadas pela Covid-19 em África subiu para 134 com os casos acumulados a aproximarem-se dos 4.300 casos em 46 países, segundo a mais recente actualização das estatísticas sobre a pandemia.

De acordo com dados do Centro para a Prevenção e Controlo de Doenças (CDC) da União Africana (África CDC), a África central regista 214 casos, mantendo-se nove mortes e seis recuperações, enquanto a África Oriental regista 324 casos, quatro mortes e seis recuperações, igual a sábado.

No norte de África, onde se concentra a maior parte dos casos, o CDC actualizou os números, registando agora 1.716 casos, aumentando o número de mortos de 85 para 98, e também o número de recuperados, de 205 para 211.

Na África Austral, há 1.230 infectados, dois mortos e 31 pessoas conseguiram recuperar.

A África Ocidental, por seu lado, registou um aumento das infecções, de 691 para 798 casos, que resultaram em 21 mortes e 48 recuperações.

Nos países lusófonos, Angola aparece com dois mortos e mais cinco casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus, Cabo Verde regista cinco e uma morte, Moçambique confirmou oito e a Guiné-Bissau dois.

Na Guiné Equatorial, que integra a Comunidade de Países de Língua Portuguesa, as autoridades confirmaram 13 casos positivos de infecção pelo novo coronavírus.

Dos países lusófonos, apenas São Tomé e Príncipe não tem qualquer caso confirmado.