A população mundial nunca teve tantos jovens. Esta é a maior geração de jovens de sempre no mundo. Portanto, o potencial humano que existe é imenso. É preciso acreditar nesta geração, dar-lhe as ferramentas para que possa superar-se e fazer coisas que não imaginava possíveis.

Por Isabel dos Santos (*)

Todos nós – empreendedores, governos, empresas – devemos investir nos jovens: educação, emprego, oportunidades de carreira… futuro. Ao fazermos isso, imaginem o salto de desenvolvimento que podemos trazer a todas as nações de África.

Os jovens de hoje compreendem o valor da educação, do conhecimento, como sendo o princípio de tudo. Estão ansiosos por agarrar todas as oportunidades que surgem para um dia serem uma força de transformação do continente africano. Cada vez mais sou abordada pelos jovens que procuram oportunidades, que pedem conselhos, que correm atrás do seu sonho. E fazer parte desta jornada de tantos jovens é verdadeiramente gratificante.

Os jovens exigem, antes de mais, acesso a educação de qualidade. Embora a alfabetização da população continue a ser muito importante, temos de olhar para o ensino de qualidade: programas de formação profissional, educação universitária altamente especializada e investigação. Jovens com uma boa formação universitária vão tornar-se adultos independentes, capazes de pensar por si próprios, de criar os seus projectos, gerar valor e, por isso, terem poder de compra e consciência de poupança. São estas pessoas o motor do crescimento dos seus países e do continente.

Capacitar os jovens é desenvolver a próxima geração de líderes africanos. Identificando talentos. Oferecendo oportunidades de emprego e formação profissional. Envolvendo os jovens nas grandes decisões e dando-lhes responsabilidade e autonomia.

Capacitar os jovens estimulando uma cultura de confiança em cada um. Desenvolvendo o espírito de empreendedorismo capaz de transformar a mentalidade de uma geração inteira. Se reconhecermos isso, mudamos África para sempre.

Outras das preocupações dos jovens é saber se os Estados estão a evoluir no sentido de criarem as condições estruturais que lhes darão confiança para poderem colocar as suas aptidões e competências ao serviço do país.

Estes jovens vão querer ser empreendedores, ter uma voz na sociedade, ser influentes… e só com eles podemos construir o futuro de África.

É fundamental escutar os jovens, dar-lhes voz. A energia, a criatividade, a capacidade de sonhar de um jovem é muito inspiradora para todos. Eles não exigem apenas desenvolvimento económico para os seus países, a riqueza financeira já não é a única motivação. Há uma expectativa de evolução e valores, de propósitos, de ética. Querem um desenvolvimento sustentável. São exigentes e determinados.

Sempre que posso aproveito esta proximidade com os estudantes, porque esta energia me inspira muito e espero conseguir retribuir-lhes… não só com a minha experiência e com os meus conselhos, mas sobretudo com as oportunidades de emprego e de formação que estou empenhada em criar. Este é o compromisso que assumi com o meu pais e continente.

4 conselhos para início de carreira

O momento em que os jovens terminam o curso universitário é sempre de grande alegria e orgulho por esta conquista. Mas rapidamente chega a dúvida: e agora, o que se segue na minha vida? Aqui partilho um pequeno guia para ajudar tantos jovens que vivem este momento de encruzilhada.

Paixão
Uma lição valiosa que aprendi na vida é que devemos sempre seguir a nossa paixão. Afinal só as nossas paixões nos movem e nos dão energia para um dia de trabalho. Não devemos desmoralizar quando nos dizem que os nossos sonhos não nos levam a lado nenhum. A paixão aliada ao trabalho árduo é uma mistura poderosa, seja qual for a nossa área de conhecimento. Devemos ter sempre como motivação o desejo de fazer a diferença. Quando somos motivados por essa força, isso é maior do que qualquer ganho financeiro.

Conhecimento
O conhecimento e a preparação são fundamentais na nossa vida profissional. É crucial estudar e obter conhecimentos especializados e técnicos, porque são muito valorizados no mercado do trabalho. Mesmo com o nosso diploma de licenciado, a vontade de aprender tem de nos acompanhar pela vida. Continuar ao longo da nossa carreira a investir em cursos que actualizem os nossos conhecimentos ou em temáticas novas é muito importante. O mundo está em constante evolução e um bom profissional não pode perder essa viagem.

Plano
Onde quero estar daqui a três, a cinco a sete anos? Devemos sempre elaborar um plano para o nosso percurso profissional. Traçamos os nossos objectivos e somos fiéis a este plano ao longo do tempo. Muitas vezes somos surpreendidos pelos acontecimentos da vida, mas até nestes momentos de incerteza ajuda muito ter um plano. Conseguimos sempre regressar ao que desejamos para nós mesmos, de quem queremos ser e onde queremos estar. Manter o foco é essencial para chegar a um objectivo na vida.

Identidade
Com os nossos objectivos em marcha, guiados pela paixão e alimentados pelo conhecimento, as oportunidades sempre surgem. E nesta viagem, há algo que nunca podemos esquecer: a nossa identidade. É a identidade que nos torna únicos e especiais, genuínos e verdadeiros. Daqui vem a nossa força. Num mundo cheio de preconceitos, seja de raça, género ou classe social, a nossa identidade é arma para enfrentar tudo isso. Só seremos fortes e livres se formos nós mesmos.

(*) Colagem de dois artigos publicados em 2018 no site www.isabeldossantos.com

Foto: Anthony Uchalla

Partilhe este artigo