O João Pinto é professor de Ciência Política e Direito Constitucional? Como é possível usar esses títulos e surgir frequentemente, em apresentações públicas, a dizer tantos disparates? Ah!… É verdade, esquecíamo-nos de que ele é professor num sistema de ensino que não consegue classificar nenhuma universidade entre as 100 melhores de África e produz muitos diplomados para o desemprego.

Por Domingos Kambunji

Coitados dos alunos deste Pinto. Devem passar o tempo a aturar as manias do João que usa os tempos lectivos inventando temperos para cozinhar bifes de atum para os restantes camaradas do seu galinheiro.

Será que João Pinto é professor da ciência política dos atuneiros e do direito constitucional de dizer disparates para fazer rir as pessoas, ao exagerar no seu narcisismo exalando demasiada katinga intelectual? Nós não nos rimos do João, temos pena, muita pena destes seres menores que optam pela megalomania bacoca para disfarçar complexos de inferioridade intelectual, um reflexo de elevada mediocridade e estupidez congénitas.

A lógica do fluxo cerebral do João Pinto apresenta-se muitas vezes em curto-circuito, provocado pela descentralização do cérebro nas cabeças dos dedos dos pés e, principalmente por isso, tropeça facilmente no chulé do raciocínio ambíguo para escarrapachar-se na lama do ridículo.

Este galináceo infantil recorre frequentemente a citações, bastante deslocadas, para tentar impor como verdades absolutas os seus sofismas e falácias. Agora resolveu atacar o dirigente da UNITA Adalberto da Costa Júnior, acusando-o de ter falta de memória.

O que o Adalberto tem revelado não demonstra qualquer falta de memória e capacidade de raciocínio em debates em que as infantilidades do Pinto são uma moda demasiado confrangedora.

O Adalberto Júnior tem boa memória e sabe muito bem que foi o MPLA quem iniciou a guerra civil em Angola e mandou fuzilar dezenas de milhar de angolanos no 27 de Maio de 1977. O Adalberto sabe que o MPLA iniciou a guerra civil para impor no nosso país uma ditadura marxista-leninista fracassada. O Adalberto sabe que foi o MPLA quem, mudando as coordenadas do GPS do oportunismo politico, impôs o capitalismo selvagem em Angola para enriquecer os seus dirigentes através da roubalheira. O Adalberto sabe que o MPLA defendeu a paz para poder ser déspota e espancou, prendeu, acusou e condenou cidadãos nacionais por defenderem um regime democrático e a justiça social.

O Adalberto sabe que o João Pinto não pensa, plagia citações para poder agradar aos chefes e obedecer às ordens superiores dos cleptocratas. O Adalberto sabe que o João Pinto pouco ou nada sabe e é por isso que não consegue ir além de professor universitário num sistema escolar medíocre e deputado obediente ao chefe, independentemente da maior ou menor propensão que o chefe tenha para a cleptomania.

O Adalberto da Costa Júnior sabe que se responder às provocações do João Pinto pode ser acusado de abusar um menor, de usar a capacidade de possuir um raciocínio adulto para combater as infantilidades crónicas de um galináceo que jamais conseguirá ganhar o estatuto de adolescente, incapaz de evoluir para o estado adulto.

Partilhe este artigo