Donald Trump proibiu o jornalista da CNN Jim Acosta de participar nas conferência de imprensa na Casa Branca, acusando-o de ser o responsável por “Fake News” (notícias falsas). A grande chatice é que a CNN consegue demonstrar que Donald Trump é o presidente responsável pela emissão de mais mentiras, em média 30 mentiras por dia, de acordo com os registos do jornal Washinghton Post.

Por Domingos Kambunji

Em Angola, o bajulador do Jornal da Angola do MPLA e o seu bajulador-adjunto não correm o risco de serem banidos das conferência de imprensa do presidente João Lourenço. A subserviência destes assimilados permite-lhes livre trânsito para endeusar o novo inquilino do palácio imperial.

Ainda não há muitos dias, o bajulador-adjunto do Jornal da Angola do MPLA esganiçou-se, numa demorada lengalenga, a criticar os narcisistas que publicam “selfies” nas redes sociais. Esqueceu-se de dizer que o narcisista João Lourenço alugou um avião de luxo, por 70 mil euros à hora, para ir passear a vaidade em França, na Bélgica e em Espanha, enquanto em Angola continuam a morrer pessoas de fome, malária… há falta de escolas e hospitais… os angolanos são engodados com aumentos insignificantes nos salários, após desvalorizações draconianas do kwanza e inflação… e as promessas de levar a Califórnia para Benguela, o “kimbóio” para a Lunda Sul e de criar 500 mil empregos parece que se cumprirá no dia em que as galinhas (mesmo sem serem as dos ovos de outro) tiverem dentes.

A concretização das promessas eleitorais do Imperador parece que também foi exonerada. O combate à corrupção atinge apenas as formigas. Os dinossauros generais continuam a vegetar na paz dos anjos. O Zenú está com os costados no kuzu porque foram os ingleses quem descobriu a marosca.

Grande banga! Angola, em qualidade de vida, é o país que está classificado no lugar 141 a nível mundial, entre os mais atrasados, tem 20 milhões de pobres, tem pessoas a morrer com fome… mas o presidente conseguiu ser fotografado com os reis da Bélgica, o presidente da França e foi numa visita privada a Espanha, guardado por um enorme exército to capangas, usando um avião alugado por 70 mil dólares à hora!…

Mas as passeatas não ficaram por aqui. O presidente foi a outros países ulular a banga da vaidade. Agora só falta ir à Rússia para ser condecorado com a medalha da “honra” do Putin, como aconteceu com o José Eduardo dos Santos. Nem o Kangamba ou o João Melo conseguiram prever tanto sucesso nestas viagens de pedir fiado para pagar o fiado.

Enquanto tudo isto vai acontecendo, o bajulador do Jornal da Angola do MPLA continua a fazer muitas publicações, plagiando os discursos demagógicos do presidente e dos seus capangas e as “palarvas” do anterior bajulador do jornal da Angola do MPLA, o José Ribeiro.

Plagiar e publicar o que outros escreveram anteriormente não é fazer jornalismo, é carneirismo, servilismo. Ele diz, como dizia o José Ribeiro, que “o país real mostra-se a cada dia de forma e maneira diferentes para cada cidadão, com reacções que vão desde a incredulidade à esperança, com respigos do afropessimismo pelo meio”.

O país real mostra-se cada vez mais na mesma, num processo de endividamento, com as moscas que se alimentavam na escatologia anterior a regressarem. Um exemplo disso é o Filomeno Manaças, bajulador-adjunto do José Ribeiro, ter regressado à direcção do Jornal da Angola do MPLA.

Para quê exonerar para depois voltar a nomear quem andou a parasitar? Até parece um jogo infantil de amuos e desamuos.

O Donald Trump promete revogar a autorização para as sua conferências de imprensa demagógicas a muitos mais jornalistas honestos e competentes que conseguem demonstrar, através da investigação dos factos, que ele é mentiroso.

Os pseudo-jornalistas dos órgãos oficiais da Re(i)pública da Angola do MPLA estão completamente descansados. Não investigam a corrupção dos dinossauros da nação, incluindo, como é evidente, o presidente. Se forem exonerados no dia seguinte voltarão a ser nomeados. O MPLA necessita deles para propagandearem a patética informação demagógica.