No âmbito de uma espécie de “Operação Resgate” (repor a autoridade do Estado/MPLA no país), o Presidente de Angola, João Lourenço, remodelou as estruturas intermédias das Forças Armadas e da Polícia Nacional, com a exoneração de nove generais e almirantes e cinco comissários, indica uma nota oficial.

Num comunicado de imprensa, a Casa Civil do Presidente da República indica que foram exonerados os seguintes oficiais generais:

General Maurício Amado Nzulu, do cargo de Vice-Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas para Área Social;

General Altino Carlos José dos Santos, do cargo de Chefe da Direcção Principal de Planeamento e Organização do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas;

General Baltazar Diogo Cristóvão, do cargo de Chefe da Direcção Principal de Educação Patriótica do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas;

Almirante Emílio Miguel de Carvalho Sobrinho, do cargo de Chefe da Direcção Principal de Pessoal e Quadros do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas;

Tenente-General António de Jesus Miguel José Fernandes, do cargo de Chefe Adjunto da Direcção Principal de Educação Patriótica do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas;

Tenente General Artur Valente de Oliveira, do cargo de Chefe Adjunto da Direcção Principal de Pessoal e Quadros do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas;

Tenente-General João António Santana, do cargo de Consultor do Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República;

Brigadeiro Apolinário Pedro Gaspar, do cargo de Chefe de Gabinete do Secretário de Estado para a Política de Defesa Nacional do Ministério da Defesa Nacional;

General Francisco Lopes Gonçalves Afonso, do cargo de Comandante da Força Aérea Nacional.

Foram nomeados pelo Presidente da República, também nos termos da Constituição da República e ao abrigo da Lei de Defesa Nacional e das Forças Armadas, depois de ouvido o Conselho de Defesa e Segurança, os seguintes oficiais generais:

General Altino Carlos José dos Santos, para o cargo de Comandante da Força Aérea Nacional;

General João António Santana, para o cargo de Chefe do Estado Maior General Adjunto das Forças Armadas Angolanas para a Educação Patriótica;

Almirante Emílio Miguel de Carvalho Sobrinho, para o cargo de Vice Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas para a Área Social;

Tenente-General Artur Valente de Oliveira, para o cargo de Chefe da Direcção Principal de Pessoal e Quadros do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas;

Tenente-General António de Jesus Miguel José Fernandes, para o cargo de Chefe da Direcção Principal de Educação Patriótica do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas;

Tenente-General Apolinário Pedro Gaspar, para o cargo de Chefe de Gabinete do Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas;

Contra-Almirante Eduardo Henriques da Silva, para o cargo de Chefe de Gabinete do Secretário de Estado para a Política de Defesa Nacional do Ministério da Defesa Nacional.

O Presidente da República, ao abrigo da Lei que regula os Postos e Distintivos da Polícia Nacional e ouvido o Conselho de Segurança Nacional, exonerou os oficiais comissários:

Comissário Paulo André Francisco, do cargo de Director do Gabinete do Comandante Geral da Polícia Nacional;

Comissário João Baptista Martins Ginga de Almeida, do cargo de Comandante da Polícia de Protecção de Objectivos Estratégicos da Polícia Nacional;

Sub-Comissário Augusto Vasco Sandundo, do cargo de Chefe do Gabinete do Segundo Comandante Geral da Polícia Nacional;

Sub-Comissário Waldemar Paulo da Silva José, do cargo de Director Adjunto do Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais da Polícia Nacional.

Foram nomeados os seguintes Oficiais Comissários da Polícia Nacional:

Comissário-Chefe João Baptista Martins Ginga de Almeida, para o cargo de Comandante da Polícia de Guarda Fronteiras da Polícia Nacional;

Comissário Augusto Vasco Sandundo, para o cargo de Director de Gabinete do Comandante Geral da Polícia Nacional;

Comissário Sebastião Cambinda, Director de Logística do Ministério do Interior para, cumulativamente, exercer o cargo de Director Nacional de Logística da Polícia Nacional;

Comissário Paulo André Francisco, para o cargo de Conselheiro do Comandante Geral da Polícia Nacional;

Sub-Comissário Waldemar Paulo da Silva José, para o cargo de Director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior.

Na qualidade de Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Angolanas, João Lourenço exarou uma ordem a promover os Oficiais Comissários e Superiores abaixo designados:

Ao Posto Policial de Comissário Chefe: Comissário João Baptista Martins Ginga de Almeida, Comandante da Polícia de Guarda Fronteiras de Angola;

Ao Posto Policial de Comissário: Sub-Comissário Augusto Vasco Sandundo, Director de Gabinete do Comandante Geral da Polícia Nacional;

Ao Posto Policial de Sub-Comissário: Superintendente-Chefe Divaldo Júlio Martins, Comandante da Polícia de Protecção de Objectivos Estratégicos da Polícia Nacional; e o Superintendente-Chefe Amadeu Narciso Lucamba Bentes, Chefe do Gabinete do 2º Comandante Geral da Polícia Nacional.

Em ordem igualmente exarada pelo Comandante-em-Chefe das FAA, foram licenciados do Serviço Militar Activo passando à reforma por limite de idade os oficiais Generais Baltazar Diogo Cristóvão e Maurício Amado Nzulo;

Na Polícia Nacional, foi licenciado à reforma o Comissário Geral Armindo Fernandes do Espírito Santo Vieira.

Folha 8 com Angop