Ontem estivemos a assistir à transmissão televisiva da reunião no jantar anual dos jornalistas, em Wasinghton DC, que fazem a cobertura da Casa Branca. Donald Trump foi um dos convidados mas preferiu “fugir” para Washinghton, no Michigan, com medo de enfrentar a crítica dos jornalistas.

Por Domingos Kambunji

Sabem quantos jornalistas foram homenageados por bajularem Trump, como o jornal da Angola do MPLA a rádio nacional da Angola do MPLA e a televisão pública da Angola do MPLA bajularam o Zédu e agora bajulam o JLo? Zero!

Alguns dos jornalistas homenageados foram distinguidos por investigarem as trafulhices do presidente Trump. Quantos jornalistas do jornal da Angola do MPLA a da rádio nacional da Angola do MPLA e da televisão pública da Angola do MPLA investigaram e investigam as trafulhices dos “altos digerentes” do MPLA, incluindo nesse grupo os presidentes Zédu e JLo? Zero!

Em Angola quem faz jornalismo de investigação arrisca-se a ser acusado e condenado por difamação, porque a mentira é mais poderosa do que a verdade no pseudo-sistema judicial angolano.

A comediante convidada foi Michel le Wolf que, gozando com a estória das relações sexuais de Trump com uma artistas pornográfica, relações essas que estão a provocar muitas ralações a Donald Trump, disse que também aceitaria uma indemnização de 130 mil dólares para passar por artista pornográfica, sob o pseudónimo de Reince Priebus (ex-chefe da casal civil de Trump).

Em Angola, “as artistas pornográficas” que têm relações com os “altos digerentes” do MPLA são promovidos a ministros e secretários de Estado da Comunicação Social ou a directores do jornal da Angola do MPLA , da rádio nacional da Angola do MPLA e da televisão pública da Angola do MPLA.

Referindo-se a uma conselheira de Trump, Kellyanne Conway, Michelle Wolf afirmou que se não lhe derem a possibilidade de mentir ela não terá canais de informação para poder fazer isso. Em Angola os directores do jornal da Angola do MPLA , da rádio nacional da Angola do MPLA e da televisão pública da Angola do MPLA auferem chorudos salários para fazem o que faz a Kellyanne Conway.

Não pretendemos plagiar Michelle Wolf porque o plágio é crime em países civilizados. É por isso que estranhamos muito que no jornal dos vitinhos, o Victor Silva continue a plagiar as “paLarvas” do director do Victor Carvalho e do José Ribeiro, também conhecido por o Roubeiro.

Diz o senhor Silva, na sua pornografia semanal, que “as liberdades de expressão e de imprensa são conquistas que se vão cimentando à medida que se aprofundam as mudanças geradas pelo novo ciclo político inaugurado em Angola, em Setembro do ano passado”.

A que novo ciclo político se refere o senhor Silva? À transição de um governo do MPLA para um governo do MPLA? À transição de um presidente cleptómano para um presidente que foi ministro do governo cleptocrático do Zédu? À transição de um governo que foi construído com ex-ministros e bajulinos do governo cleptómano?

Aceitar pacificamente os sofismas e as mentiras descaradas dos vitinhos é conformismo ou burrice. Seria uma demonstração de ignorância acreditar nos novos sofismas e mentiras descaradas utilizados “pelas artistas pornográficas” do sistema angolano para tentarem vender a banha da cobra e, assim, poderem assegurar, por muito tempo, os cargos bem remunerados de monangambés de fato e gravata.

Os vitinhos do jornal da Angola do MPLA seriam totalmente desprezados e ignorados nas homenagens a jornalistas em países civilizados. O jornalismo demagógico e escatológico não é valorizado nestes países.

Partilhe este Artigo