Foi hoje inaugurada a nova unidade industrial da Efacec na Maia, norte de Portugal, que vai produzir carregadores de bateria para carros eléctricos. Na cerimónia, a empresária angolana Isabel dos Santos, accionista maioritária da empresa, recuou na história da tecnologia e referiu que a Efacec esteve sempre à frente na linha do tempo.

Isabel dos Santos afirmou hoje que a empresa pretende ser “empregador de referência em Portugal”, aumentando os colaboradores ligados à mobilidade eléctrica dos actuais 112 para 190 este ano e 400 em 2025.

“Pretendemos ser empregador de referência em Portugal, formando quadros capazes de levar as suas competências a qualquer canto do mundo e acolhendo também aqui os melhores talentos internacionais”, afirmou a empresária que estava acompanhada pelo marido, Sindika Dokolo, na cerimónia de inauguração da nova unidade industrial de mobilidade eléctrica da Efacec.

Segundo Isabel dos Santos – que desde há três anos controla 66% da Efacec através da sociedade Winterfell – o negócio da mobilidade eléctrica “assume agora uma importância especial na empresa e no país”, referindo que graças à Efacec “Portugal – que é um país de inovação – é líder mundial em matéria de carregadores rápidos para veículos eléctricos”.

Elogiada pelo ministro da Economia de Portugal, Manuel Caldeira Cabral, Isabel dos Santos salientou que esta fábrica segue o “espírito de descoberta que sempre fez parte do ADN português”.

O ministro da Economia de Portugal aproveitou para agradecer “aos accionistas e a Isabel dos Santos por acreditarem e investirem na empresa que ajudaram a capitalizar num momento em que muitos não acreditavam na economia portuguesa”.

“Neste momento de expansão”, Caldeira Cabral gradeceu igualmente às instituições financeiras, colaboradores e fornecedores da Efacec , que – segundo o Governo luso – é “um bom exemplo do que é hoje a indústria portuguesa”.

A nova unidade industrial de mobilidade eléctrica da Efacec, foi construída no complexo fabril do grupo português na Maia, e vai permitir aumentar a capacidade anual de produção de carregadores rápidos para veículos eléctricos, segmento no qual a Efacec reclama a liderança mundial.

O objectivo da empresa liderada por Ângelo Ramalho é triplicar o peso da mobilidade eléctrica na actividade da Efacec, sendo a meta atingir os 100 milhões de euros em três anos.

Actualmente, a Efacec vende a empresas como a Porsche e a Eletrify America (um “projecto de electrificação de auto-estradas americanas”) e conta com uma “unidade em franco crescimento, com objectivos muito ambiciosos: ter a três anos 100 milhões de euros de facturação”.

“Estamos a falar de multiplicar por cinco o tamanho que temos hoje. É um por cinco. Estou certo de que com o ritmo de inovação que temos, com as novas armas que temos a nível fabril e com tudo o que tenho visto, a Efacec consegue ser um ‘player’ totalmente português pioneiro a nível nacional”, afirmam os representantes da empresa.

A Efacec designa o conjunto das empresas que hoje se constituem como a Efacec Power Solutions e foi criada em 1948, operando nos sectores da energia, da engenharia e da mobilidade.

Partilhe este Artigo