ANGOLA. O grupo africano Ecobank deixou caducar a licença para estabelecer um banco em Angola, divulgou o BNA num comunicado publicado no seu site.

De acordo com a informação disponibilizada pelo Banco Nacional de Angola (BNA), na origem deste desfecho está o “incumprimento reiterado do prazo legal para o início de actividade” daquela sucursal do Ecobank, como prevê a Lei de Bases das Instituições Financeiras, que é de 12 meses, prorrogada excepcionalmente uma vez, por seis meses.

“A autorização concedida ao Ecobank Angola SA, para o estabelecimento de uma instituição financeira bancária, caducou”, refere o BNA, que dá agora 30 dias para a apresentação de reclamações por eventuais dívidas da instituição, que não chegou a iniciar a operação.

Em Angola funcionam actualmente 28 bancos e outros dois, em processo de instalação, não iniciaram actividade, casos do Ecobank Angola e do Banco de Activos e Créditos de Angola (BACA).

Thierry Tanoh, presidente executivo do Ecobank, grupo com sede em Abidjan, Costa do Marfim, e o banco com mais escritórios nos países africanos, anunciou em 2013 que a instituição pretendia avançar para Angola e Moçambique.

O objectivo, disse na altura, passava por fortalecer a rede nos países lusófonos, mas apenas a instalação da operação em Moçambique foi concretizada desde então, além de Cabo Verde, Guiné Bissau e São Tomé e Príncipe, entre 35 dos países africanos em que já está presente.

Lusa

Partilhe este Artigo