ZIMBABUÉ. Mais de cinco milhões de eleitores são hoje chamados às urnas para eleger o próximo Presidente do Zimbabué nas primeiras eleições desde a demissão do antigo chefe de Estado Robert Mugabe, que governou o país durante 37 anos.

O Presidente da República do Zimbabué, Emmerson Mnangagwa, e o líder da oposição, Nelson Chamisa, vão a votos nas primeiras eleições presidenciais após a demissão de Robert Mugabe que em Novembro de 2017 foi obrigado a demitir-se na sequência de um golpe de força do Exército.

O chefe de Estado zimbabueano, Emmerson Mnangagwa, de 75 anos, lidera o partido União Nacional Africana do Zimbabué-Frente Patriótica (ZANU-PF) e chegou ao poder com o apoio dos militares em Novembro de 2017.

Nelson Chamisa líder do Movimento para a Mudança Democrática (MDC-T) é o principal opositor de Mnangagwa.

O político de 40 anos sucedeu Morgan Tsvangirai que morreu em Fevereiro vítima de doença prolongada.

Nestas eleições presidenciais concorrem Ambrose Mutinhiri da Frente Patriótica Nacional, Thokozani Khupe, vice-primeira-ministra do Zimbábue de Fevereiro de 2009 a agosto de 2013 e líder do partido Movimento para a Mudança Democrática (MDC-T), Noah Manyika do partido Construir a Aliança do Zimbábue, Dumiso Dabengwa líder da União do Povo Africano do Zimbabué (ZAPU), Elton Mangoma da Coligação de Democratas (CODE), Joice Mujuru do partido Coligação Arco-íris do Povo e Nkosana Moyo da Aliança para a Agenda do Povo.

O Presidente é eleito por maioria absoluta de votos através de um sistema de duas voltas para cumprir um mandato de 5 anos.

Partilhe este Artigo