ANGOLA. Dois efectivos da Polícia Nacional e um do Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) de Angola estão detidos, desde a última semana, sob acusação de “extorsão e roubo qualificado” a um cidadão eritreu, em Luanda, foi hoje anunciado.

A informação foi transmitida pelo porta-voz do Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional, intendente Mateus Rodrigues, quando procedia à apresentação dos resultados das operações policiais realizadas entre 26 de Setembro e 15 de Outubro de 2018 em Luanda.

De acordo com o intendente Mateus Rodrigues, a “operação de combate à criminalidade violenta” foi liderada pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) de Luanda e culminou com esclarecimento de 30 crimes diversos e na detenção de 85 cidadãos pela prática de vários crimes.

Em relação à detenção dos dois efectivos da Polícia e um do SME, Mateus Rodrigues explicou que o facto ocorreu no município de Cacuaco, norte de Luanda, no interior da padaria do cidadão eritreu lesado.

“Fizeram mau uso das faculdades que lhes são designadas: Decidiram extorquir o cidadão em causa e, depois, ainda roubarem alguns bens”, disse.

Apresentando aos jornalistas o balanço da operação policial, o porta-voz da polícia em Luanda adiantou ainda que nesse período foi igualmente detido um cidadão de 30 anos por ter violentado o filho de sete anos por este lhe ter furtado 20.000 kwanzas (57 euros).

“Na sequência do espancamento, ainda lhe despejou em cima água quente, o que resultou em queimaduras nos membros superiores e inferiores”, explicou.

Das mãos dos marginais a polícia retirou 18 armas de fogo, 17 viaturas e apreendeu oito motorizadas e vários artigos e utensílios domésticos.

Lusa

Partilhe este Artigo