O governador da província de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, admitiu hoje que o rápido crescimento populacional da cidade “concorreu para o aumento de problemas de difícil resolução”, referindo entre outras áreas a saúde, saneamento básico e recolha de lixo. Eis mais um perito do MPLA (que só esta no poder há… 42 anos) a descobrir a pólvora… seca.

O dirigente do MPLA, que falava hoje na cerimónia de cumprimentos de fim de ano, recordou que durante a sua gestão, de quase 90 dias, teve de realizar visitas para conhecer melhor a gravidade da situação económica e social da província. Ou seja, para ver a enciclopédia de disparates, asneiras e crimes que os anteriores governadores cometeram com total impunidade e, muitas vezes, até com condecorações pelos altos serviços prestados…

“Deu também para diagnosticar o grau de prontidão das nossas estruturas quer centrais, intermédias e/ou municipais, bem como aferir o grau de entrega e comprometimento dos servidores públicos”, disse Adriano Mendes de Carvalho, num estirada perfeitamente intelectual e adaptável a tudo.

Segundo o governador, estas constatações estão a permitir desenhar um quadro de soluções para debelar progressivamente essas insuficiências. Ouvir em 2017 o mesmo que nos foram repetindo ao longo de 42 anos é algo que… chateia. E chateia porque os governantes (sejam governadores, ministros, presidentes, generais etc.) teimam em cada discurso passar-nos um atestado de menoridade intelectual e um comprovativo de matumbez.

Para Adriano Mendes de Carvalho, a qualidade de vida do cidadão deve ser a principal preocupação dos servidores públicos, informando que no quadro de medidas em curso na capital angolana, “estão já em implementação melhorias no sistema de saúde”.

“Estão já em implementação melhorias no sistema de saúde”, diz Adriano Mendes de Carvalho. Sendo governador de Luanda, tem autoridade para falar do sistema de saúde do país ou está, apenas, a falar do sistema de saúde em sua casa?

Adriano Mendes de Carvalho especifica que “do saneamento básico, na recolha de resíduos sólidos na província e na melhor articulação entre o Governo de Luanda e os diversos sectores que actuam na província, entre elas as empresas de águas, energia, unidade de saneamento e com a Polícia Nacional”.

Será que, mais uma vez, Angola é Luanda e o resto paisagem? Ou nenhum destes problemas se verifica nas restantes províncias?

Para 2018, Adriano Mendes de Carvalho prometeu um aumento vertiginoso na intensidade das acções, maior grau de exigência, rigor, disciplina e pontualidade. Ou seja, prometeu tudo o que os seus antecessores prometeram mas que nunca cumpriram. Ou seja, prometeu o mesmo que um seu sucessor irá prometer…

“Por vossa parte, de mais responsabilização, dado que cada um deve ser também um governador no seu gabinete, no seu departamento, no seu município ou distrito, no seu bairro, enfim, no seu posto de trabalho”, exortou Adriano Mendes de Carvalho. Só faltou acrescentar “que cada um deve ser também um” Presidente da República, um Presidente do MPLA na sua casa,

De acordo com o governador de Luanda, são inúmeras as responsabilidades e é grande a expectativa e confiança depositada pelo Presidente da República, João Lourenço, e por isso não são permitidas falhas. Todos os governadores escolhidos por José Eduardo dos Santos diziam o mesmo. O resultado está à vista.

“Não nos é permitido defraudar essa expectativa e essa confiança sob pena de frustrarmos o voto de confiança que as populações nos conferiram nas urnas”, concluiu Adriano Mendes de Carvalho. De facto, reconheça-se, no actual estado da nossa saúde pública falar-se de urnas faz todo o sentido.

Partilhe este Artigo