O ministro Rui Mamoeiro está muito zangado, estupefacto, porque o Ministério Público de Portugal já enviou para o Tribunal de Instrução Criminal o caso “Operação Fizz”, em que está envolvido o Manel Vilsente, Vice-Presidente da Reipública de Angola, acusado de corrupção activa na forma agravada, branqueamento de capitais e falsificação de documentos – informou Jacinto Sapalo.

Por Domingos Kambunji

Ó Jacinto, ele chama-se Rui Mangueira, não Mamoeiro, e é Ministro da (In)justiça e dos Direitos Desumanos de Angola, corrigiu o Cantinflas da Silva Aviador.

O ministro Rui é uma pessoa que tem andado sempre muito distraída. Não ficou estupefacto com a palhaçada que foi o julgamento dos Revus, com a encenação a cargo do director do circo, o juiz Januário Domingos.

O ministro Rui é uma pessoa que tem andado sempre muito distraída. Não ficou estupefacto com o espancamento pela “Pulhícia” do MPLA da jovem Laurinda Gouveia, numa violação descarada dos Direitos Humanos, acusada de pertencer a uma organização de malfeitores por ser crítica da ditadura angolana.

O ministro Rui é uma pessoa que tem andado sempre muito distraída. Não ficou estupefacto com as mortes de Cassule, Camulingue e Ganga. Emudeceu, domesticado pelo Zédu, por cobardia e falta de humanidade, carácter e competência.

O ministro Rui é uma pessoa que tem andado sempre muito distraída. Não ficou estupefacto com a morte do miúdo Rufino António, vítima de uma bala do general Wala, a criança que não queria que derrubassem a cubata dos seus pais num bairro da lata.

O ministro Rui é uma pessoa que tem andado sempre muito distraída. Não ficou estupefacto com as atrocidades cometidas pelo MPLA nos fuzilamentos do 27 de Maio e durante a guerra civil.

O ministro Rui é uma pessoa que tem andado sempre muito distraída. Não ficou estupefacto com a violação dos Direitos Humanos responsável pelo recorde mundial de mortalidade infantil de que Angola é detentora.

O ministro Rui é uma pessoa que tem andado sempre muito distraída. Não ficou estupefacto por os mortos na sequência de epidemias serem oriundos de famílias pobres.

O ministro Rui é uma pessoa que tem andado sempre muito distraída. Não ficou estupefacto por em Angola existirem 20 milhões de pobres.

O ministro Rui é uma pessoa que tem andado sempre muito distraída. Não ficou estupefacto por sete activistas serem condenados pelo Tribunal Municipal de Cacuaco, em julgamento sumário e sem advogados que os representassem, por exigirem eleições transparentes e boa governação.

O ministro Rui é uma pessoa que tem andado sempre muito distraída. Só prestou atenção, e ficou estupefacto, porque o Ministério Público de Portugal já enviou para o Tribunal de Instrução Criminal o caso “Operação Fizz”, em que está envolvido o Manel Vilsente, Vice-Presidente da Reipública de Angola, acusado de corrupção activa na forma agravada, branqueamento de capitais e falsificação de documentos.

O ministro Rui é uma pessoa que tem andado sempre muito distraída. Só prestou atenção, e ficou estupefacto, porque o Ministério Público de Portugal já enviou para o Tribunal de Instrução Criminal o caso “Operação Fizz” sem esperar pelas decisões dos Tribunais “Superenfermo e Constricional” de Angola sobre o caso do Manel Vilsente de corrupção activa na forma agravada, branqueamento de capitais e falsificação de documentos.

Alguém acredita que os Tribunais “Superenfermo e Constricional” de Angola, cúmplices do Manel Vilsente, algum dia aceitariam ouvir o caso do Manel Vilsente em que ele é acusado de corrupção activa na forma agravada, branqueamento de capitais e falsificação de documentos?

Partilhe este Artigo