ANGOLA. O presidente do BPI (Portugal) considerou hoje que o Banco de Fomento de Angola (BFA) é uma história “bonita e superiormente rentável”, em que um investimento de três milhões de euros gerou um retorno de mais de 900 milhões.

Este balanço da presença em Angola foi hoje feito por Fernando Ulrich na apresentação dos resultados do BPI referentes ao ano passado, em que foi divulgado que o Grupo BPI teve lucros de 313,2 milhões de euros, mais 32,5% do que em 2015, sendo que para esses resultados a operação em Angola, onde o BPI tinha em 2016 a maioria do capital do Banco de Fomento de Angola (BFA), contribuiu com 163 milhões de euros.

Para cumprir as exigências do Banco Central Europeu (BCE), que obriga a reduzir a exposição ao mercado angolano, o BPI vendeu já este mês 2% da sua participação no BFA à operadora Unitel, deixando de controlar aquela instituição, ficando com 48,1%, enquanto a Unitel tem 51,9% do capital.

Partilhe este Artigo