O Fundo Soberano de Angola refuta as alegações publicadas por uma jornalista sul-africana, associada à investigação dos “Panama Papers”. A coutada do filho do Presidente da Reipública de Angola afirma que o Fundo Soberano é transparente.

Por Domingos Kambunji

ABenta Benta, amiga íntima da Angela Vega, passa a tempo a rezar por a família estar a atravessar uma grave crise económica, devido ao elevado consumo de álcool do marido, o Bento Banga. Ela afirma que os copos de vinho do Bento também estão quase sempre transparentes, porque ele não os consegue conservar, por muito tempo, cheios.

Este Fundo foi criado para proporcionar fontes alternativas à Reipública de Angola. A Benta Benta, a que passa o tempo a rezar, também construiu uma capoeira, no quintal, para proporcionar fontes alternativas para a alimentação do agregado familiar. O Bento Banga pouco ou nada faz. A Benta, para manter o marido ocupado, numa actividade que o afastasse do botequim, decidiu pedir ao marido que vigiasse o galinheiro.

O mês passado, enquanto o Bento Banga ressonava, na gestão de uma valente bebedeira, uma matilha de raposas invadiu o galinheiro. Conclusão: a fonte alternativa para a alimentação do agregado familiar foi toda consumida pelas raposas. Lá se foi o conduto do que a Benta Benta garantia ser um investimento que iria beneficiar as gerações presentes e futuras.

O Conselho de Administração e os funcionários do Fundo Soberano são avaliados por um Conselho Fiscal, nomeado pelo Ministério das Finanças. A Benta Benta também nomeou e acreditou que poderia melhorar as finanças familiares se o Bento Banga vigiasse a capoeira. A chefe da matilha, investigou a Angela Vega, também ocupava um cargo num Ministério da Selva, e é licenciada em Economia e Finanças pela Universidade da Floresta do Catambolor. O Bento Banga também foi capaz de convencer a Benta Benta de que iria ser muito fino nas suas andanças a vigiar a capoeira.

Quando a Josefa Eduarda resolveu, por curiosidade, observar o galinheiro da família Banga, este estava completamente vazio de galináceos, apenas se poderia ver muitas penas espalhadas pelo chão e algumas coladas nas redes de protecção. Há quem diga que apenas um galináceo, infantil, de nome João, conseguiu sobreviver à razia, o que a Josefa Eduarda foi encontrar, escondido, todo borrado, na cave da sua vivenda, situada no local mais alto da cidade.

O Fundo Soberano contratou a empresa Quantum Global, para prestar serviços de consultoria e investimento, devido ao desempenho exemplar que demonstrou ao serviço de outras instituições estatais angolanas, ao longo de uma década. Há quem pergunte: se os serviços de consultoria e investimento foram assim tão exemplares, ao longo de uma década, porque será que o Reigime de Angola lançou um SOS para que o FMI lhe dê esmola?

O Fundo Soberano assessorou o Executivo Angolano, na observância das práticas adoptadas por fundos mais experientes. Há quem pergunte: se o Fundo Soberano não é suficientemente experiente, porque foi escolhido para assessorar o Executivo da Reipública. Não seria mais inteligente ser assessorado por um fundo soberano mais inteligente?

A Benta Benta, a que passa o tempo a rezar, também contratou a assessoria do Bento Banga!…

O Fundo Soberano tem por objectivo fomentar o uso de boas práticas de governação. Há quem diga que essa assessoria se estendeu ao Sistema Nacional de Saúde e foi esse o principal motivo por fomentarem as boas práticas para o aumento de epidemias, em todo o país.

A Benta Benta, a que passa os seus dias a rezar, também quis fomentar as boas práticas de gestão dos recursos familiares. A transparência nos copos de vinho do Bento Banga não contribuiu para que as preces da Benta Benta fossem escutadas pelo deus da inteligência e da ética holística.

O Beto Banga não se cansa de acusar a sua companheira, de há muito anos, de não ter sido prudente nos investimentos. “Vucê já imagináste quantus garrafão di vinho ô di cachipembe eu pudria cumprar cu dinheiro gastado no i vestimento do galinheiro? Fui tudo, tudo mêmo, pru água abaixo, só serviu para ingurdar us raposa”!

O Fundo Soberano de Angola é uma instituição pertencente, integralmente, ao Estado da Reipublica de Angola. Também o galinheiro da família Banga era um investimento pertencente, integralmente, a este agregado familiar.

Em Luanda, no Sambizanga, onde o Bento Banga é considerado o Einstein do Botequim do marido da Josefa Eduarda, o Anastácio Paulo, dizem que o Fundo Soberano tem asas, porque andam a voar de lá muitos milhões.

O Bento Banga diz, à boca cheia, que a jornalista sul-africana “é uma traidora dus valor africanhos, tal cual cumu umas jornalista qui u genti tenhe aqui nu Luanda, o Rafael e u Uiliam Tótenete, e uma escritor, o Água da Luza. Êssê muié anda a rivilar us maka qui a contece nus casas dus outro. Si ela falava dus invasão dus raposa no galinheiro du meu muié, eu com tratava o Ministro da Curtura di Prutugal, o candengue Só Ares, o qui agora istá diz empregado, pra lhi dar duas bufatadas nu fucinho i ri tirar-lhi u indonei idade”!

Partilhe este Artigo