“O Bloco Democrático – BD, recebeu informação de que existe uma grande vontade popular em expressar os sofrimentos da situação em que o país vive. Por um lado trata-se da dor e sofrimento da saúde nacional onde centenas de crianças têm morrido no último mês. Por outro lado o povo está em dor com a injusta condenação dos 17 arguidos do processo chamado dos “Revús”. Estamos a morrer, estamos a sofrer.

A saúde está uma desgraça, só lágrimas! Tudo já acontecia, não foi só este ano que existe falta de material nos hospitais, a gasosa, as carências no atendimento, falta de médicos, mas com o lixo acumulado e as chuvas e a falta de dólares que o executivo gastou, tudo faltou muito nos hospitais. Quando as crianças começaram a ficar todas doentes por causa do lixo nas ruas e as chuvas, o sofrimento, os choros, os hospitais não aguentaram mais essa pressão e foi aí as mortes que aconteceram que chocaram Angola.

Depois o Processo dos 15+duas, desde os motivos que conduziram à sua prisão, passando pelo rocambolesco processo judicial e pelo longo e risível julgamento, não há dúvidas de que esta condenação foi ditada pelo poder político, sob mando expresso do Presidente da República que foi sempre a “mão invisível” (que todos viam) por detrás de toda esta encenação dita judicial. Vejamos o ponto a que toda esta situação chegou que temos o activista cívico Osvaldo Caholo a procurar tirar a sua própria vida e o activista cívico Nuno Dala em greve de forma há 25 dias. São situações dramáticas que nos preocupam a todos angolanos!

Se você acumular mais o preço da vida, o custo da vida alto, o preço da cesta básica como subiu, o preço do combustível como subiu, a falta de emprego, mais a perseguição à zunga agora com multas, vais ficar mais em casa até morrer? É hora de sair da casa e protestar, pacificamente! Vamos esperar até quando para pressionar JES MPLA? Bebé que não chora não mama!

Acreditamos sim que começa cada vez mais a chegar a hora de uma frente única de pressão nacional para a liberdade. Uma frente única nacional que englobe todas as pessoas não importa qual o partido político a que pertençam, pois esta é uma hora de Angola. Esta é a hora de sair de casa e pressionar pacificamente. Vamos esperar até quando para pressionar JES MPLA? Bebé que não chora não mama!

É por esses motivos que o Bloco Democrático declara o contínuo apoio a todas as iniciativas pacíficas de protesto, tais como as que se preparam para Benguela dia 4 de Abril, em Luanda dia 9 de Abril, e a manifestação das famílias que terá sido apontada para dia 11 de Abril. O BD apela a que todos os seus membros, amigos e simpatizantes, e ao povo em geral para aderir a essas acções de paz para a pressão por um país melhor e mais livre.

Também os activistas da Central Angola 7311 lançaram um apelo à manifestação pela saúde em Abril, o Bloco Democrático declara que apoia essa iniciativa da sociedade civil apartidária e apela a todo o povo angolano para aderir.

O BD apela a você angolana e angolano para que não fique em casa a acumular frustração, pois você sabe que um dia você vai explodir de tanta raiva e frustração, portanto é hora de acção de paz, é hora de sair enquanto consegues controlar as suas frustrações, é em paz que devemos caminhar e sair, que em paz pressione dentro da legalidade para um país melhor. Aceite estes convites da sociedade pacífica e saia ao seu tempo à rua para exigir qualidade de vida para o povo. Passe esta mensagem, não fique a acumular frustração em casa, saia com paz. Vamos esperar até quando para pressionar JES MPLA? Bebé que não chora não mama!

À impotência do regime de resolver os problemas básicos da população e de organizar minimamente o país, acresce a sua intenção de colocar o país a ferro e fogo para conter toda a contestação contra a sua desgovernação. Por isso todos devemos sair com paz e seguindo a lei, apenas para pressionar. O que podemos pressionar?

Pressionar pacificamente por uma mudança de atitude em JES MPLA:

1. libertar imediatamente os 17 jovens e Dr. Mavungo;
2. anunciar um plano sério de emergência para a saúde, exigência já feita pela sociedade civil através dos activistas cívicos Central Angola 7311;
3. anunciar ao povo que não se voltará a candidatar em 2017 e que não irá empurrar seus familiares ou seus delfins ao país e ao MPLA;
4. ordenar o fim imediato de todas as perseguições a activistas, ONG, associações e partidos políticos, sociedade civil em geral;
5. anunciar que a CNE e as eleições passam a estar sob controlo independente, deixando de ser partidária;
6. anunciar eleições de autarquias este ano de 2016, a formula certa para o combate ao lixo e outros sofrimentos nacionais ao nível local;
7. anunciar eleições sérias para 2017, dando total liberdade, oportunidade e direito de antena a todos os partidos políticos para fazerem as suas campanhas e realizarem o seu trabalho de mobilização.

Se o Sr. Eng. José Eduardo dos Santos aplicar estas sete pontos, será como Mikhail Sergeyevich Gorbachev ou Frederik Willem de Klerk, que souberam em tempo certo, sentir os sinais do tempos e com espírito de liderança e coragem fazerem os seus países tomarem um rumo melhor, poderá então ser aclamado como Arquitecto da Paz e quem sabe até receber o Prémio Nobel da Paz com os 15+duas e Dr. Mavungo.

Estamos perante uma governação falhada, que de 2002 até hoje prometeu e não entregou, prometeu e não cumpriu, e quando entregou não aguentou muito tempo, basta ver as estradas que na sua maioria hoje estão danificadas. Obras descartáveis que estragaram rápido. Longe de sermos ingénuos e cairmos na ilusão de culpar ex-Ministros ou ex-Governadores de Províncias, dirigimos sim todas as culpas a quem tem sido o timoneiro do barco: O Sr. Eng. José Eduardo dos Santos.

O Bloco Democrático conclama o povo angolano para o combate por uma sociedade livre e democrática, progressista e reafirma a sua determinação no combate de sempre pela libertação dos presos políticos, tornando esta tarefa um ponto de honra da sua actividade quotidiana.

O Bloco Democrático manterá, como sempre o fez, o combate para a libertação dos presos políticos, tornando esta tarefa um ponto de honra da sua actividade quotidiana e está disposto a ombrear com todas as forças políticas, organizações da sociedade civil e cidadãos amantes da paz e da liberdade a prosseguir a luta pela conquista da democracia.

O Bloco Democrático está disposto a ombrear com todas as forças políticas, organizações da sociedade civil e cidadãos amantes da paz e da liberdade a luta pela conquista da Democracia, apelando, assim, para uma conjugação de esforços no sentido de travar esta aceleração da ditadura e despoletar, com a coragem que a situação requer, forças para a construção dum Estado Democrático de Direito na prática. Saibamos ser unidos!

Este é o momento de sermos angolanos e não de sermos membros de um ou de outro partido, ou da iniciativa de um ou de outro partido político, este é o momento de sermos angolanos, vamos juntos, saibamos fazer juntos, saibamos ser unidos como um povo!”

Nota: Comunicado do Bloco Democrático

Partilhe este Artigo