A Polícia do regime está, a esta hora, a impedir que se realize uma vigília em Luanda, junto à igreja da Sagrada Família, para pedir a libertações dos jovens activistas, nomeadamente de Luaty Beirão que, apesar de internado no hospital-prisão de São Paulo, continua em risco de vida.

V árias viaturas policiais cercaram a igreja da Sagrada Família, estão a impedir a entrada de quem quer integrar a vigília e forçam o pároco a expulsar os que já estão no templo.

Perante a recusado sacerdote em expulsar da Casa de Deus quem lá quer estar, a Polícia mandou cortar a energia eléctrica à zona, ameaçando todos os que se aproximam e os que lá estão.

Com a zona às escuras, é fácil perceber que a intenção da polícia é usar a força, até mesmo com recurso a armamento letal, sem que isso possa ser documentado por imagens.

Recorde-se que esta vigília, como outras, visa pedir a libertação dos 15 jovens e manifestar preocupação com a situação de Luaty Beirão, o único que permanece em greve de fome, de vários que a iniciaram.

O Luaty Beirão pode morrer a qualquer momento. Numa greve de fome devia ingerir três litros de água, quando nem meio litro consegue. Os órgãos já começam a deixar de funcionar e todos os dias apresenta um quadro diferente.

Luaty Beirão é um dos rostos mais visíveis da contestação ao regime angolano e já chegou a ser preso e selvaticamente agredido pela polícia do regime em manifestações de protesto, desde 2011.

Notícia em actualização

Partilhe este Artigo