É engraçado ver um aldrabão a criticar a televisão portuguesa SIC e o seu fundador, Pinto Balsemão. Esse aldrabão, de seu nome José Ribeiro, ficou muito chateado por a SIC ter desmascarado a miséria que abunda em Angola, que para ele mais não é do que a coutada do seu patrão.

Por Domingos Kambunji

Até na mensagem de Ano Novo, publicada no pasquim oficial do regime, ele fez figura de parvo. É triste, mesmo sabendo que se se trata de um invertebrado, ver um ser humano num tão adiantado estado de putrefacção, apesar de vivo.

Ele anda há algumas décadas a propagandear projectos, planos e implementações que acabam por desaguar quase sempre na estrumeira das desilusões. A anedota mais hilariante é de que a miséria nacional é uma consequência da crise internacional, como se Angola fosse um país considerado muito avançado, muito industrializado e tivesse sentido uma dramática redução nas áreas da exportação.

O bandoleiro ainda não percebeu o papel de palhaço foleiro que desempenha no pasquim oficial. Agora amuou, levou a mal, por a SIC ter desmascarado Angola como país muito atrasado, devido à corrupção imposta pelo seu patrão. Acusa a SIC e Pinto Balsemão de terem uma visão neocolonial. Neocolonizar um país altamente endividado por um governo altamente especializado em demagogia? Só se a estação de televisão e Pinto Balsemão sofressem de uma patologia semelhante à do angolano presidente!

O Ribeirov, director do Pravda angolano, já se esqueceu do Nicholas Kristof? Este jornalista também tem ideias neocoloniais por desmascarar a anarquia que reina na “reipublicana monarquia”? O Rafael Marques e o Mariano Brás também têm ideais neocoloniais ao demonstrarem que a PGR (Porcariadoria-Geral da Reipública) é uma instituição povoada e parasitada por empresários boçais?

As alucinações do director do pasquim são mutantes. Primeiro eram os portugueses e as suas instituições que queriam o mal de Angola, devido às saudades do tempo colonial. Agora não, agora a miséria que se espalha por toda a nação, que, segundo ele, não deve merecer atenção, é culpa da SIC e de Pinto Balsemão.

Quando o José Ribeiro apoiava o regime colonial, o Pinto Balsemão andava a lutar pela democratização de Portugal. É normal que agora faça o papel de parvo quando defende a continuação do angolano “Estado Novo”.

Segundo as estatísticas, mundiais e nacionais, a raiva está a aumentar em Angola. O governo deverá importar vacinas para os seres ladradores. O José Ribeiro, que tanto tem ladrado, deverá ser o primeiro a ser vacinado.

O Presidente mantem o José Ribeiro no grupo cénico, cómico, a exercer as funções de papel higiénico, porque ele é cúmplice e conivente do Presidente.

Não levem a mal: o José Ribeiro vive num curral e acha que o chiqueiro é um ambiente muito porreiro. É por isso que ele fica muito invejoso e intrigado com a visão da SIC, do Pinto Balsemão.

Partilhe este Artigo