A notícia caiu de paraquedas: Rescova nomeado para governador da província de Luanda. Este militante do MPLA, que estudou umas coisitas sobre ciências juridico-políticas, foi nomeado para governar Luanda porque sabe, sempre soube, obedecer às ordens superiores.

Por Domingos Kambunji

Poderia ter sido nomeado para ginecologista de uma das maternidades de Luanda, para meteorologista prometendo combater a estiagem no Cunene, ou para astronauta, com a missão de tentar encontrar o satélite angolano surdo e mudo que anda perdido no espaço.

Mas não! Foi nomeado para governador de Luanda.

Grande banga! O mais importante na Re(i)pública da Angola do MPLA é exonerar para depois nomear e voltar a exonerar. João Lourenço continua a mostrar-se muito activo nestas actividades lúdicas que caracterizam o seu reinado.

Quem é o Rescova? É aquele indivíduo que, ainda não há muito tempo, no exercício reumatismal de um raciocínio atrapalhado, dizia num artigo publicado no Club-K que não é perfeito nem está interessado nisso.

Não é necessário ser perfeito nem competente para ser nomeado para o cargo de governador ou Ministro na Re(i)pública da Angola do MPLA. Basta ser capaz de demonstrar capacidade para ser um bom moço de recados, mesmo que esses recados conduzam a becos sem saída ou abismos.

Assim, esta cultura oficial imposta pelo MPLA permite que qualquer carpinteiro, militante do partido, possa ser Ministro da Saúde, qualquer demagogo possa ser nomeado para desempenhar o cargo de Ministro da Defesa, qualquer ladrão possa ser promovido a General, qualquer galináceo ou atuneiro possa ser eleito deputado do MPLA ou exercer as funções de professor universitário, qualquer analfabeto sistémico possa ser Ministro ou Secretário de Estado da Educação, qualquer cobarde possa ser escolhido para Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos e qualquer defensor da repressão, de manifestações em defesa de valores democráticos, possa tomar posse como Ministro da Comunicação Social e afirmar ser defensor da Democracia.

O importante é ser-se militante do MPLA e não é relevante para a escolha que os candidatos tenham conhecimento, experiência, competência e inteligência.

O presidente aconselhou o Rescova a “não ter medo de enfrentar o desafio”. O desafio, como todos sabemos, não é muito elevado. O desafio consiste em ocupar um cargo temporariamente, para demonstrar toda a incompetência, e depois ser exonerado.

“É necessário dar apoio ao camarada João Lourenço da mesma maneira que apoiámos o camarada Zédu”, (o Arquitecto do Pus), disse o Rescova.

O mimetismo é a capacidade que os camaleões possuem de mudar facilmente de cor para obterem alguma vantagem funcional.

Partilhe este Artigo