ANGOLA. A moeda angolana fechou uma semana em que foi batendo quase diariamente os mínimos históricos face à europeia e norte-americana, fixando-se na sexta-feira nos 367,027 kwanzas/euro e nos 326,769 kwanzas/dólar, indicou o Banco Nacional de Angola (BNA).

Segundo os dados do banco central angolano, o kwanza baixou praticamente todos os dias da semana, que iniciou nos 364,135 kwanzas/euro, aproximando-se de uma depreciação de 50% desde 9 de Janeiro de 2018, dia em que as autoridades de Luanda puseram termo à taxa de câmbio fixa e começaram a vender aos bancos comerciais as divisas em leilão, primeiro trissemanais e actualmente diárias.

Nessa altura, um euro transaccionava-se a 185,400 kwanzas e, em Janeiro deste ano, situou-se nos 352,828 kwanzas, tendo depreciado 49,486% desde o início de 2018.

A moeda angolana atingirá uma depreciação de 50% frente à europeia quando for transaccionada a 370,800 kwanzas/euro.

Face à moeda norte-americana, a semana começou também com uma depreciação, estabilizada, porém, desde terça-feira, quando bateu igualmente os mínimos históricos, ao fixar-se nos 326,769 kwanzas/dólar, valor em que fechou sexta-feira.

Desde Janeiro de 2018, quando um dólar equivalia a 165,920 kwanzas, a uma depreciação de 49,224%. No início deste ano, um dólar equivalia a 310,158 kwanzas.

Para atingir uma depreciação de 50% face ao dólar, o kwanza terá de atingir os 331,860 kwanzas/dólar.

Hoje, no mercado paralelo, o euro continua a transaccionar-se entre os 490 e 510 kwanzas, enquanto o dólar se mantém entre os 420 e 440.

Lusa

Partilhe este artigo