ANGOLA. Duas mil crianças em idade escolar estarão fora do sistema normal de ensino este ano, no município da Caála, na província do Huambo, mais 550 do que no ano lectivo anterior.

Segundo o director da repartição local da educação, Albano Urbano, tal situação deve-se à escassez de salas de aula e professores, principalmente em aldeias distantes das vilas comunais.

Anunciou serem necessários, para acabar com o problema, 600 professores do ensino primário e 50 salas de aula, apontando as comunas da Catata e Cuima como sendo as com mais crianças que ficaram sem estudar.

Para o ano lectivo que se avizinha, Albano Urbano informou que serão matriculados 115.203 alunos, do ensino primário, I e II ciclo do ensino secundário, menos dois mil do que no anterior.

Estão disponíveis, para o efeito, 240 escolas e 2224 professores, números que, segundo o responsável, ainda não satisfazem a demanda estudantil neste município.

Angop

Partilhe este Artigo