ANGOLA. O antigo presidente do Fundo Soberano de Angola, José Filomeno dos Santos, constituído arguido pela Procuradoria-Geral da República (PGR) num caso de uma transferência supostamente ilegal para um banco em Londres, disse estar a cooperar com a justiça.

O filho do antigo Presidente angolano José Eduardo dos Santos revelou em comunicado nesta terça-feira, 27, que tomou a iniciativa de contactar voluntariamente a PGR entre o dias 27 de Fevereiro e 5 de Março para ajudar a descobrir a verdade, tendo sido constituído arguido a 6 de Março.

“Depois do interrogatório não lhe foi aplicada, tampouco notificado de nenhuma medida de coacção. Volvidos vinte dias desde o interrogatório tomou conhecimento sobre as medidas de coacção através da comunicação social ontem, 26 de Março”, escreve José Filomeno de Sousa dos Santos.

Na nota revelou ter-se deslocado hoje, 27, à PGR, onde assinou o Termo de Identidade e Residência e entregou os passaportes, reiterando que “mantém total disponibilidade de continuar a cooperar com a Procuradoria-Geral da República para a resolução plena e satisfatória deste processo, como de resto tem vindo a suceder desde o dia 27 de Fevereiro”.

Partilhe este Artigo