ANGOLA. A actualização do Plano Director Nacional dos Transportes em Angola está orçada em cerca de quatro milhões de dólares (3,2 milhões de euros), financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), informou hoje o representante da instituição em Angola.

Em declarações à imprensa à margem do primeiro workshop sobre a actualização do referido plano, Joseph Ribeiro, representante da instituição financeira , disse ainda que o BAD poderá financiar projectos de até 500 milhões de dólares (406,6 milhões de euros), no quadro desse processo de actualização.

“Nós fizemos um financiamento de cerca de quatro milhões de dólares para este Plano Director dos Transportes em Angola, mas por detrás temos ideia de que este documento que está a ser preparado deverá servir para preparar projectos que podem ir até ao máximo de 500 milhões de dólares (406,6 milhões de euros)” no total, disse.

De acordo com o responsável, o Plano Director dos Transportes em Angola abarca já uma visão, como instrumento de governação, para os próximos 20 anos, sendo que o estudo deve ainda elencar cinco projectos prioritários a serem definidos juntamente com o Governo angolano.

“E daí vamos estudar com o Governo e com outros parceiros de desenvolvimento quais são as possibilidades de financiamento”, adiantou.

“Neste momento, estamos a avaliar todos os projectos dos transportes, desde rodoviários, ferroviários, cabotagem, fluvial, aéreo, então, este plano director abrange todos os sectores e a ideia principal é de dar ao país todos os meios para facilitar o processo de diversificação da economia”, acrescentou.

A par da abordagem sobre a actualização do Plano Director Nacional dos Transportes em Angola, o workshop avaliou também o estudo de viabilidade preliminar da ligação ferroviária entre o Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB) e a República da Zâmbia.

Sem avançar prazos para a ligação ferroviária entre Angola e Zâmbia, Joseph Ribeiro sublinhou apenas que o estudo ainda não prevê datas para efectivação dessa ligação, garantindo, contudo, que até final de 2018, o Plano Director dos Transportes em Angola “estará actualizado”.

“Com projectos já identificados, com termos de referência para estudos detalhados e vamos ter também estudos de viabilidade para ligação ferroviária entre o CFB e a Zâmbia e depois vamos avançar para fase mais onerosa que é a mobilização de financiamento”, adiantou.

Segundo ainda o representante do BAD, a unidade bancária investiu em Angola, desde 1980 cerca de 2,1 biliões de dólares (1,6 mil milhões de euros) em 44 projectos.

“Neste momento, estamos focados em três áreas, que são os transportes, agricultura e energia. No que diz respeito à agricultura estamos a promover varias acções, em termos de transportes, este Plano Director permitirá perspectivar novas operações para integração regional com a RDC e a Zâmbia”, concluiu.

Lusa

Partilhe este Artigo