O ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’Abreu, afirmou hoje, na cidade da Praia, que os voos entre Luanda e Cabo Verde deverão ser retomados antes do final do ano.

Ricardo Viegas D’Abreu falava aos jornalistas no final de um encontro com o primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, que o recebeu no Palácio do Governo, no âmbito da visita que o governante angolano está a realizar ao arquipélago, com os transportes entre os dois países na agenda.

“Vamos dedicar o dia à actividade da aviação civil e transporte aéreo, ligações entre Luanda-Sal ou [Luanda-]Praia e eventualmente equacionar outros destinos para, a partir daqui, materializarmos a visão que nos foi agora transmitida pelo primeiro-ministro [cabo-verdiano] de transformar Cabo Verde num hup (plataforma) de transportes”, referiu.

A acompanhar o ministro angolano está o presidente da comissão executiva da companhia aérea angolana, TAAG, que irá trabalhar com a transportadora aérea de Cabo Verde no sentido de “garantir que, antes do final do ano, haja alguma ligação para Cabo Verde a partir de Angola”.

“Vai depender de questões de viabilidade e sustentabilidade da operação. Estamos a estudar as diferentes oportunidades que possam existir a nível da ligação de Luanda para Cabo Verde e depois, a partir daqui, podermos operar outros destinos, garantindo sustentabilidade e não interrupções num serviço que pretendemos consistente”, adiantou.

O ministro adiantou ainda que os transportes marítimos são “outra área muito interessante” da cooperação entre os dois países que precisam de “materializar”.

“As distâncias são outras, as questões são outras, temos oportunidades de poder trabalhar ao nível das mercadorias e depois, eventualmente, ao nível dos passageiros”, disse.

Para o ministro do Turismo e Transportes e Ministro da Economia Marítima cabo-verdiano, José da Silva Gonçalves, esta visita do congénere angolano irá “redinamizar” o que tem sido “uma relação muito profícua em várias áreas”.

Recordando que no passado existiram ligações aéreas entre Luanda e a Praia, em Cabo Verde, com paragem em São Tomé, José da Silva Gonçalves sublinhou que o figurino hoje é outro e novas as perspectivas, nomeadamente desde a criação do hub aéreo da ilha do Sal.

O ponto alto desta visita do governante angolano foi a assinatura de um Memorando de Entendimento entre os ministérios dos Transporte dos dois países que “preconiza as áreas específicas e as formas de cooperação em prol do desenvolvimento de programas, projectos e acções concretos nos domínios dos transportes aéreos e marítimos”.

Os programas deverão ser desenvolvidos por “entidades e instituições específicas de cada um dos países, com o objectivo de definir e consolidar a cooperação nestes dois sectores estratégicos para os dois países”.

O memorando de entendimento é válido por um período de cinco anos.

Além deste memorando, foram assinados “os instrumentos de cooperação entre a Cabo Verde Airlines e a TAAG, a Agência da Aviação Civil, e o Instituto Nacional da Aviação Civil (INAVIC) de Angola”.

Partilhe este Artigo