ANGOLA. A UNITA manifestou-se hoje céptica ao anúncio sobre a realização de um congresso extraordinário, em Setembro deste ano, para José Eduardo dos Santos deixar a presidência do MPLA, partido no poder em Angola, para João Lourenço.

Alcides Sakala sublinhou que se trata de um assunto interno ao MPLA, que “saberá encontrar os melhores caminhos” para aquela formação política, liderada por José Eduardo dos Santos desde 1979.

“Penso que é preciso esperar para acreditar. Já muitas vezes houve anúncios desta natureza, em que apenas mudaram-se as estratégias, portanto vamos esperar para acreditar”, disse o político.

Alcides Sakala referiu ainda que são vários os exemplos em África de que as bicefalias se transformaram “em factor de instabilidade e de bloqueio de quem governa”.

“Mas como disse é uma questão interna do MPLA, o partido tem maturidade o suficiente para encontrar as melhores vias, que possam permitir que o novo Presidente (da República) funcione sem fontes de bloqueio, mas vamos aguardar para acreditar”, reiterou.

Partilhe este Artigo