ANGOLA. O Serviço de Investigação Criminal (SIC) apreendeu, entre Agosto e Outubro de 2017, mais de 21 quilogramas de marfim trabalhado e não trabalhado, correspondente ao valor de 74.048 dólares (60.000 euros), na posse de angolanos e chineses.

A informação foi hoje divulgada em Luanda, em comunicado, pelo Ministério do Ambiente, fiel depositário do produto apreendido, que salienta ainda que foram detidos, no período em referência, dois cidadãos de nacionalidade chinesa e um angolano.

Estes processos, em que os três cidadãos são acusados do crime de associação criminosa, agressão ao ambiente e contrabando, foram já entregues ao Ministério Público.

A nota refere ainda que em posse do cidadão angolano foram encontrados 13,25 quilogramas de marfim, designadamente um dente de elefante, com o valor de 46.375 dólares (38.000 euros).

Num outro caso, foram detidos dois cidadãos chineses quando tentavam exportar a partir do porto de Luanda 5,45 quilogramas de marfim não trabalhado e 2,58 quilogramas de marfim trabalhado, em escultura humana.

De acordo com o documento, ainda em posse dos chineses foram apreendidas 0,73 quilogramas de escama de Pangolim (o único animal mamífero totalmente coberto de escamas), produto que na China e no Vietname são vendidos ao preço de 200 dólares por quilograma.

O inventário dos meios apreendidos foi coordenado pelo grupo de autoridades da Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e da Flora (CITES) do Ministério do Ambiente angolano.

Partilhe este Artigo
  • 1
    Share