De facto é de rir às gargalhadas com a patetice fanática e matumba do Jornal da Angola do MPLA. Continuam os sofismas que alimentaram e alimentam a educação patética, a que alguns designam por patriótica.

Por Domingos Kambunji

Nas últimas décadas, o Ministro da Informação do Saddam Hussein, Mohammed Saeed al-Sahhaf tem conseguido encarnar em Angola sob vários heterónimos: João Melo, José Ribeiro, Victor Carvalho, Bento Kangamba, Celso Malavoloneke… e, recentemente, Caetano Júnior e Victor Silva.

No passado domingo o Mohammed Saeed al-Sahhaf angolano, Victor Silva, abriu a primeira página do Jornal da Angola do MPLA, com letras garrafais, informando que a “Síria anunciou a destruição de 71 dos 105 mísseis norte-americanos”. Só faltou desenvolver o título afirmando que dos 105 mísseis disparados 71 foram destruídos, 210 foram presos, 315 renderam-se e 420 regressaram ao local onde foram disparados, com medo de serem atacados pelos sírios e russos.

O Victor Silva, um dos Mohammed Saeed al-Sahhaf angolanos, é tão incompetente e fanático que não conseguiu ler o falhanço que foram as contradições da propaganda neo-soviética e síria nas 24 horas posteriores aos ataque com mísseis norte-americanos, franceses e ingleses. A ignorância é um enorme defeito apenas para os que se pretendem apresentar como intelectuais de narcisismo megalómano, como é o caso do Victor Silva. Isto só vem demonstrar que o Jornal da Angola do MPLA está a ser dirigido por um analfabeto sistémico.

Esse comportamento não é de estranhar porque o Jornal da Angola do MPLA, que tanto tem propagandeado e re-propagandeado a falácia da batalha do “Kuito-Canaval”, esconde a verdade de depois dessa vitória fictícia as tropas do MPLA terem levado um forte arraial de pancadaria, transmitida por televisões estrangeiras convidadas pelo MPLA, na batalha que infantil e precipitadamente baptizaram de Assalto Final.

As opiniões dos Mohammedes Saeed al-Sahhaf angolanos, João de Melo e Celso Malavoloneke, são por demais conhecidas como provenientes de bajulinos do Reigime Cleptocrático de José Eduardo dos Santos.

Há alguns meses vaticinámos que o cata-vento Celso Malavoloneke corria o risco de futuramente vir a ocupar o lugar de Ministro da Informação, Propaganda e Educação Patriótica do MPLA, devido às suas elevadas características de incoerência, contradição e incompetência. Errámos por pouco. O incoerente Celso Malavoloneke só conseguiu atingir o posto de Secretário de Estado, porque foi ultrapassado, no sprint final, por outro famoso bajulino do Zédu, o João Melo.

Quando fizemos o retrato do Celso criticámos o facto de ele defender que “não vale a pena insultar os mais velhos” que se governaram e se governam com o dinheiro roubado aos angolanos. Será que o Celso, agora que é Secretário de Estado da Propaganda do MPLA, não fica chateado se os tratarmos por Suas Excelências os Senhores Grandes Ladrões? O nosso objectivo não é melindrar sensibilidades, especialmente a deste Mohammed Saeed al-Sahhaf angolano, o Celso Malavoloneke.

O Mohammed Saeed al-Sahhaf angolano, Celso Malavoloneke, ululava a bandeira paranóica de que os “ianques mais uma vez tentarem ficar escarrapachados no cocuruto das nossas riquezas”. (O Louvalozédu também dizia que a NATO estava a planear um ataque a Angola)

Custa a acreditar em tanta cegueira e infantilidade matumba da parte de alguém que tem a mania que é intelectual e até foi empossado como Secretário de Estado da Informação, Propaganda e Educação Patriótica do MPLA. Quem está instalado no “cocuruto das nossas riquezas” são os chinocas os putins e Suas Excelências os Senhores Grandes Ladrões do MPLA. Os “ianques” não têm capacidade de desalojar esses parasitas da posição que ocupam, no médio e longo prazo.

Nos Estados Unidos os “ianques” estão a investigar o Presidente e os seus principais colaboradores por potencial corrupção. Em Angola ninguém investiga o General João Lourenço, Presidente, e outros Suas Excelências os Senhores Grandes Ladrões por um enriquecimento tão exagerado, rápido e com grandes suspeitas de cleptomania.

Nós sabemos que os Kapangas dos Mohammedes Saeed al-Sahhaf angolanos João Melo e Celso Malavoloneke têm alguma liberdade para opinar sobre injustiça social, uma economia atrasada, as estradas com buracos, as crianças sem escolas, etc. É importante tentar publicitar o novo presidente como o senhor faz-tudo, o messias, o salvador da pátria, apontado o dedo ao atraso no desenvolvimento do país ao colonialismo, à guerra, e ao zéduardismo. Quando acabar o período de graça e o JLo tiver que mostrar obra feita essa liberdade de informação acabará.

É por isso que não estranhámos as nomeações dos mercenários angolanos, Mohammedes Saeed al-Sahhaf, João Melo e Celso Malavoloneke, para dirigirem o Ministério da Informação, Propaganda e Educação Patriótica. É por isso que o Jornal da Angola do MPLA continua a ser dirigido de uma maneira tão matumba, falaciosa e fanática, tentando fazer da mentira verdade e usando como fontes de informação agências noticiosas obedientes a ditadores.

Partilhe este Artigo