ANGOLA. No âmbito da nova estratégia de comunicação institucional do Banco Nacional de Angola, realizou-se hoje, no auditório do Museu da Moeda, o seminário subordinado ao tema “Conceitos de Política Monetária”, dirigido a jornalistas, economistas e fazedores de opinião, cabendo a alocução de abertura ao Vice-Governador, Manuel António Tiago Dias.

Na ocasião, Tiago Dias disse que “os desafios do actual contexto macroeconómico do país são inúmeros, impondo-se a transmissão de informação credível, rigorosa e esclarecedora pelos profissionais de comunicação”, sendo este um eixo fundamental para o Banco Nacional de Angola.

Matérias como conceito e consequências da inflação, principais objectivos da política económica, evolução das contas externas e novas regras para comercialização de moeda externa, foram os assuntos ministrados por técnicos e especialistas.

O subdirector do Departamento de Estatísticas, Joel Futi palestrou sobre a “Balança de Pagamentos”, a chefe de divisão do Departamento de Estudos Económicos, Denise Soma dissertou sobre a “Inflação” e as “Novas Regras e Procedimentos de Comercialização de Moeda Estrangeira” foi um tema apresentado pelo chefe de divisão do Departamento de Controlo Cambial, Alves Ferreira.

A Administradora Beatriz Santos no encerramento desta actividade que contou com a participação de mais de 40 jornalistas de órgãos públicos e privados, enfatizou que, dado o impacto da informação sobre o sistema bancário, “há necessidade de elucidar com credibilidade o mercado e os agentes económicos”.

“Estamos cientes de que as matérias sobre o sector bancário não se esgotam, pelo que entendemos ser este o início de um conjunto de seminários que prevemos realizar, para que tenhamos uma sociedade melhor informada, sublinhou a Administradora.

O “Seminário para Jornalistas” é uma iniciativa de carácter formativo, que se pretende regular, ancorado na partilha de conhecimento sobre as diferentes áreas de actuação do Banco Nacional de Angola, com objectivo de dissipar dúvidas decorrentes da sua actuação, enquanto banco central e emissor.

Partilhe este Artigo