ANGOLA. O governador do Banco Nacional de Angola (BNA) considerou o atraso de um ano na apresentação do relatório de contas de 2016 daquela instituição “um recuo grande” e comprometeu-se a apresentar em tempo útil as contas de 2017.

José de Lima Massano, que dirige o BNA desde Outubro, substituindo no cargo Valter Filipe, falava no decorrer de uma conferência de imprensa, organizada pela equipa económica do Governo angolano, para apresentação do Programa de Estabilização Económico 2017-2018 de Angola.

“Com tristeza devo admitir que chegado a este ponto, Janeiro de 2018, e não termos as contas de 2016, é um recuo grande, o BNA já tinha superado essa barreira”, disse José Lima Massano.

Segundo o responsável, o BNA está a fazer tudo que está ao seu alcance para rapidamente encerrar as contas de 2016 e ter condição de as apresentar aos órgãos de governação da economia e ao titular do poder executivo.

“O que podemos aqui garantir é que seguramente 2017 nós não teremos essa dor, estamos a trabalhar, estamos a fazer o nosso melhor e vamos procurar, tão logo quanto possível, encerrar estas contas e, sobretudo, virar a página e voltarmos novamente a um quadro de ter um Banco Nacional de Angola que apresenta em tempo útil aquilo que é o seu desempenho”, disse.

José de Lima Massano tinha já ocupado o cargo de governador do BNA, entre 2010 e 2015, enquanto Valter Filipe exerceu as funções por apenas um ano e dois meses, de 2016 a Outubro de 2017.

Partilhe este Artigo