ANGOLA. O Governo angolano aprovou a abertura de um crédito adicional de mais de 17,5 milhões de euros para regularizar duodécimos de missões diplomáticas.

Segundo o decreto presidencial n.º 206/18 de 5 de Setembro, assinado pelo Presidente João Lourenço, o crédito superior a 5.794 milhões de kwanzas (17,57 milhões de kwanzas) será usado para a “regularização dos duodécimos das Missões Diplomáticas e Postos Consulares”.

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Augusto, confirmou, a 22 de Janeiro, que o Governo angolano tinha em curso um processo de redimensionamento das missões diplomáticas e consulares, podendo levar ao encerramento de algumas devido à situação económica e financeira do país.

Já num decreto presidencial de 24 de Agosto, João Lourenço aprovara um projecto avaliado em 12 milhões de euros para a construção de uma cancelaria angolana na Alemanha.

Na segunda-feira, o chefe da Diplomacia angolana anunciou, em Luanda, o encerramento, até Novembro, da embaixada junto da sede da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa, e o consulado em Faro (sul de Portugal), disse hoje, em Luanda, o chefe da diplomacia angolana.

Segundo Manuel Augusto, o encerramento faz parte de uma lista de quatro missões diplomáticas e outros tantos consulados a encerrar.

O ministro das Relações Exteriores lembrou que Luanda, face a constrangimentos económicos provocados pela crise que o país enfrenta, vai encerrar entre Outubro e Novembro as embaixadas no México, Canadá e Grécia e os consulados em Faro, Durban (África do Sul), Frankfurt (Alemanha) e Califórnia (Estados Unidos da América).

“Já estamos a movimentar as pessoas, pois isso tem a ver com a vida das pessoas, mas vamos fechar todo o processo até Novembro”, disse o ministro, salientando que a missão diplomática acreditada na sede da CPLP passará a ser coberta pela missão diplomática angolana em Lisboa.

Lusa

Partilhe este Artigo