ANGOLA. Os fluxos de Investimento Directo Estrangeiro (IDE) para Angola caíram no ano passado para menos de metade do valor de 2015, quando subiram 351,7% devido às transferências de capital das multinacionais para as filiais angolanas.

De acordo com o relatório da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD, na sigla em inglês) sobre as Tendências de Investimento Global, hoje divulgado em Genebra, “os fluxos de IDE para África registaram um declínio de 5%, para 51 mil milhões de dólares” (47 mil milhões de euros), em parte devido ao baixo preço das matérias-primas que se regista desde meados de 2014.

“Os fluxos para Angola desceram para mais de metade depois de terem subido em 2015; Moçambique viu o seu IDE cair 11%, mas o nível ainda foi bastante significativo, à volta de 3 mil milhões de dólares”, escrevem os analistas da UNCTAD, sem dar mais informações sobre os valores.

Partilhe este Artigo