A Isabe(ga)linha, por falta de ideias, recorre ao subterfúgio de citar os pensamentos de outros ou paga a outros, ao preço de muito ouro, muito petróleo e muitos diamantes, para pensarem por ela.

Por Domingos Kambunji

Esta é uma característica genética herdada do seu progenitor, o Rei Zé , o que paga a outros para pensarem por si e escreverem os seus discursos, o que comprou a fidelidade de muitos generais através da doação de muitíssimos milhões de dólares provenientes da venda do “pitrol da Sonangol”.

Numa das suas últimas citações ela afirma que “grandes mentes discutem ideias, mentes medianas discutem eventos, e mentes pequenas discutem pessoas”.

Nós não fazemos parte do grupo dos grandes, se nos compararem com a estatura dos basquetebolistas Michael Jordan, Lebron James, Kevin Duran ou Kevin Love. Também não consta que a Isabe(ga)linha tenha feito parte da selecção de basquetebol de Angola ou de Bá Cu…

A mente da pequena, a Isabe(ga)linha, mente. A nossa para pensar é suficiente.

É por isso que estamos em condições de poder discutir a mente da pequena, da Isabe(ga)linha, a que tem falta de ideias e passa o tempo em eventos muito dispendiosos, graças ao dinheiro que é subtraído aos cidadãos angolanos em geral.

Assim se verifica que uma licenciada em engenharia electrotécnica seja presidente da Sonangol, uma companhia de petróleos. Se a pequerrucha fosse licenciada em Engenharia dos Petróleos seria presidente do Banco Nacional de Angola, propriedade do seu papá? E se fosse licenciada em Gestão de Empresas seria gerente de cemitérios ou de botequins de kachipembe?

O Nepotismo zéduardano permite a ocorrência desta situação caricata: um zungueira de ovos foi capaz de ir a Londres buscar um diploma de Engenheira Electrotécnica para poder ser Presidente de uma companhia de petróleos, a Sonangol, onde paga chorudos salários a gestores estrangeiros para tomarem conta desse botequim, enquanto ela passa o tempo a passear pelos quatro cantos do mundo.

As ideias da Isabe(ga)linha são apenas participar no máximo número de eventos internacionais, onde possa ser fotografada com pessoas do “jetessete” das revistas cor de rosa, para tentar convencer os angolanos de que é uma mente inteligente e importante. Foi por isso que ela comprou um iate no valor de 30 milhões de dólares.

Ainda existe um mistério muito grande (Segredo de Estado) acerca do piloto que foi contratado para capitanear esse iate. Será o Bento Kangamba? Será o Arquitecto de Cacimbas do Cunene, o Kundi paiLama? Será o demagogo ambulante, o Louvalozédu, o “embixador” itinerante? Consta que o piloto do iate Isabe(ga)linha não é, com toda a certeza, o seu pai, porque este, ultimamente, passa o tempo em Barcelona a dizer ai… ai… ai!

Dizem que Zédu, ao dar o kumbu que a Isabe(ga)linha tem, não se portou como um pai mas sim como uma mãe.

Partilhe este Artigo