ANGOLA. Mais de 20 mil pessoas aderiram já, desde Março, ao serviço Xikila Money, um dos segmentos de negócios do Banco Postal angolano, que permite transacções bancárias através de um telemóvel.

A informação foi hoje avançada pelo director de marketing da Xikila Money, Paulo Silva, no acto de lançamento da operação deste serviço, cujos testes se iniciaram em Março, com a abertura de quatro agências, três na província de Luanda, capital do país, uma no Huambo, e 90 quiosques ou postos bancários, 60 dos quais instalados em Luanda e os restantes no Huambo.

Segundo Paulo Silva, o serviço propõe a inclusão financeira das pessoas “que permite que muito facilmente qualquer cidadão maior de idade possa abrir uma conta bancária”.

“Por vezes, a barreira para a bancarização é a falta de documentação exigida pela banca convencional, nós temos uma solução que permite mesmo com a apresentação de menos documentos, sem a apresentação do número de identificação fiscal ou de um comprovativo de morada, nós facilitamos a abertura de contas das pessoas”, sublinhou.

Paulo Silva avançou que actualmente já é possível através de uma mensagem de telemóvel fazer-se por exemplo um carregamento de saldo para um telemóvel.

“Já temos uma oferta mais alargada, já é possível pagar energia, serviços de televisão, o telemóvel passa a ser o instrumento fundamental para a vida das pessoas para transaccionar as suas necessidades de serviços financeiros”, frisou.

O responsável disse ainda que cerca de 60 estabelecimentos comerciais já aderiram à solução, destacando a “boa adesão” ao serviço.

Neste período inicial, os depósitos e o pagamento de bens e serviços foram as principais transacções financeiras registadas, sendo que das 20 mil contas abertas 75% são clientes transaccionais e 20% utilizadores de ‘smartphone’.

O Xikila Money dispõe entre as várias opções de serviço os depósitos à ordem, transferências interbancárias – entre contas Xikila – envio de remessas nacionais, pagamentos de serviços – telecomunicações, televisão, energia, entre outros – pagamentos em estabelecimentos comerciais, levantamentos, consultas de saldo e movimentos e alteração do código secreto.

Lusa

Partilhe este Artigo