MOÇAMBIQUE. O Movimento Democrático Moçambicano (MDM), denunciou hoje o assassínio a tiro de um delegado distrital deste partido, mas a polícia considera prematuro tratar o caso como um crime, uma vez que o corpo ainda não foi encontrado.

Inácio Maicolo, delegado provincial do terceiro maior partido moçambicano, disse que duas pessoas armadas dirigiram-se no domingo à noite à residência de Mateus Chiranga em Nhacafula, sede distrital do partido em Tambara, na província de Manica, e que, depois de resistir a acompanhá-las para outro lugar, foi atingido mortalmente a tiro.

“Presume-se que morreu aí, porque no local havia uma grande mancha de sangue que nem as chuvas apagaram. O corpo dele foi retirado da casa, presume-se pelos atiradores, e está desaparecido”, contou Inácio Maicolo, que relaciona o incidente com perseguição política.

Partilhe este Artigo