A escritora infanto-juvenil Cremilda de Lima apresenta dia 9 de Novembro, no Centro Cultural Português, a sua mais recente obra infantil, intitulada “A quinta dos girassóis” com ilustrações de Fernando Hugo Fernandes.

A obra descreve o dia-a-dia na “Quinta dos Girassóis”, perto do Lubango, onde os proprietários Lutukuta e Mussolovela, trabalhavam com afinco, do nascer ao pôr-do-sol, no cultivo de girassóis e outras espécies agrícolas.

A história vai narrando as virtudes do cultivo do girassol, que serve de alimento a homens e animais e também é utilizado como planta medicinal. Relata também as brincadeiras dos filhos do fazendeiro, Vissolela, que gostava de pintar, Tchileza que se perdia pela escrita e o filho caçula, Lutuíma, que gostava de brincar e correr por entre os girassóis.

A aventura de Lutuíma e Kiari, que subiram o tronco grosso de um girassol para poderem ver, lá de cima, os campos, a escola e o comboio e foram resgatados do remoinho de vento, carregado de Kazumbis, pelo Soba Mágico dos Campos. A realidade confundida com o sonho, onde entrava o Soba Mágico dos Campos e a visita ao jango comunitário na Chibia, a que chamaram “Jango da Alegria”, onde as crianças aprendiam jogos e brincavam e onde também havia lugar para lancharem.

O grupo dos Girassóis e o grupo da Árvore Mágica transformaram o “Jango da Alegria” num “grande jardim colorido pelo riso das crianças e a felicidade dos jovens e adultos”.

A apresentação da obra estará a cargo do escritor Octaviano Correia.

Biografia. Cremilda de Lima nasceu em Luanda e licenciou-se em Ciências da Educação Opção/Pedagogia na Escola Superior de Educação de Leiria. É professora do Ensino Básico e membro da União dos Escritores Angolanos e da Associação Cultural e Recreativa “Chá de Caxinde”.

Entre as múltiplas obras publicadas incluem-se: “A Colher e o Génio do Canavial”, “A Kyanda e o Barquinho do Fuxi”, “O Maboque Mágico”, “O Imbondeiro que queria ser Árvore de Natal”, “Kabulo o Rei”, “O Aniversário do Vovô Imbo”, “O Balão Vermelho”, “Os Patinhos no Parque”, “O Medo voou pela Janela”, “A Múcua que Baloiçava ao Vento”, “O Nguiko e as Mandiocas”, “O Sonho de um Roboteiro”, “Ulika e a Boneca”, Os Esquilos Super-Rápidos”, “Animais que Encantam”, “A Esfregona Dançarina”, “Os Kandengues Desfilam no Carnaval”, “Tetembwa Ya Dipanda” e “Duas Histórias de Encantar.”

Foi distinguida em Outubro com o Prémio Nacional de Cultura e Artes na disciplina de Literatura.

Partilhe este Artigo