É uma grande comédia ler as lições de “moral, ética e boas maneiras” de alguém que exerce a função parasitária de director adjunto do jornal da Angola do MPLA, o Caetano Júnior. De facto, o jornal da Angola do MPLA é um órgão de informação que nos territórios nacional e internacional goza do prestígio de ser um cata-vento à procura de uma orientação sem objectivos definidos, sempre a tentar plagiar a última moda demagógica de uma maneira muitíssima matumba.

Por Domingos Kambunji

O conformismo e o servilismo foram e são as principais coordenadas orientadoras dos dirigentes deste diário do MPLA, demasiado contagiados pela incoerência e contradição gerada e gerida pelo Departamento de Informação e Propaganda do Bureau Político do Comité Central do MPLA.

Nós já não nos admirados se formos acusados pelo Caetano Júnior, do jornal da Angola do MPLA, de sermos preconceituosos porque, ainda não há muito tempo, também fomos acusados de pertencermos a uma organização de malfeitores, de traidores à pátria e de difamadores, por criticarmos a rebaldaria cleptómana da governação do MPLA. O nossos preconceitos baseiam-se na honestidade intelectual e na democracia e justiça social.

Enquanto o Rafael Marques ganhava prémios internacionais de elevado prestígio e era condenado por dizer a verdade e o William Tonet somava muitíssimas dezenas de processos judiciais, por defenderem a justiça e a democracia, os Caetanos Juniores eram homenageados com prémios “cabeças de maboque” pelo Re(i)gime Cleptocrático de José Eduardo dos Santos.

Uma coisa é certa, o pão que pomos na mesa para alimentarmos as nossas famílias não depende e nunca dependeu das esmolas e dos caprichos de um partido que se serve dos angolanos para engordar os seus dirigentes políticos e para alimentar o narcisismo sanzaleiro dos presidentes do MPLA.

Brutus assassinou César. Os Caetanos Juniores agora também “assassinam” o Zédu do mesmo modo que, num futuro próximo, poderão “assassinar” João Lourenço. O mais importante é obedecer. Pensar e criticar de uma maneira construtiva é exigir demais a estes Caetanos do jornal da Angola do MPLA. No passado, como dissemos anteriormente, os críticos da Re(i)publicana Monarquia do MPLA, eram considerados traidores à pátria e membros de uma organização de malfeitores. Agora os Caetanos do Jornal da Angola do MPLA consideram-nos “preconceituosos”.

O Caetano diz que a Re(i)pública da Angola do MPLA não é o mesmo país de há 24 meses? Mudou de continente? Agora é governado pelo partido dos Cangurus da Austrália, pelo partido do Gelo da Gronelândia, pelo partido norte-americano do Alasca ou pelo partido Asiático do Tajiquistão? As notícias dizem que continua a ser governado pelo MPLA, o partido malabarista, contorcionista, ilusionista marxista-leninista, capitalista, socialista democrático, oportunista e muitas outras designações que caracterizam o comportamento deste partido que muda de ideologia em demasia, para poder continuar a ser patrulheiro de opiniões e dono de todas as decisões.

As estatísticas em prosperidade dizem que este país, onde os dirigentes do MPLA se governam há mais de quatro décadas, está situado no lugar 141 a nível mundial, atrás da África do Sul (64), Zimbabwe (118) ou Moçambique (120).

As notícias também mostram que os dirigentes deste país, que ocupa o lugar 141 em prosperidade, entre os mais atrasados do mundo inteiro, estão muito mais interessados em cimentarem o culto pelo presidente-rei do que optarem por atitudes e comportamentos de humildade para serem servidores do povo.

É este o país que tem como herói nacional, “pai da nação” um assassino que iniciou uma Guerra civil para impor uma ditadura e mandou fuzilar dezenas de milhares de cidadãos nacionais. O actual governo, por cobardia política e intelectual, considera apenas esses crimes apenas como excessos cometidos. É este o país que tem como presidente do Tribunal Supremo um juiz que dizem estar demasiado envolvido em corrupção?

O presidente deste país já conseguiu naturalizar-se cidadão estrangeiro, após tantas viagens a diversos países na pedincha de fiado?

… Depois pagam aos mercenários, remunerados com o dinheiro do povo, os Caetanos Juniores, para vomitarem opiniões informando que o país não é o mesmo de há 24 meses e para acusarem as opiniões dos críticos, não dependentes do parasitismo dos órgãos de comunicação social do Estado, de serem preconceituosas?

O jornal da Angola do MPLA, imitando o comportamento do general “Disciplina”, continua em “prontidão combativa elevada” a defender as falácias e os sofismas do MPLA.

Partilhe este artigo