ANGOLA. A Procuradoria-Geral da República angolana indicou que o Estado recuperou 3.300 milhões de dólares (2.870 milhões de euros) do Fundo Soberano de Angola sob gestão do empresário suíço-angolano Jean-Claude Bastos de Morais e da sua empresa e que, por coincidência, foi hoje posto em liberdade.

Um comunicado da Procuradoria-Geral da República refere que os valores foram recuperados no âmbito das actividades do Serviço Nacional de Recuperação de Activos, que resultou na recuperação de todos os activos financeiros e não financeiros do Fundo Soberano de Angola.

Segundo a PGR, 2.300 milhões de dólares foram recuperados em activos financeiros e outros 1.000 milhões de dólares recuperados a favor do Fundo Soberano de Angola com todo o património imobiliário, constituído por empreendimentos hoteleiros, minas de ouro, fazendas e resorts sedeados em Angola e no exterior.

Os activos financeiros recuperados, sob gestão de Jean-Claude Bastos de Morais, presidente das empresas do grupo Quantum Global, hoje libertado depois de ser detido em Luanda desde 24 de Setembro de 2018, estavam domiciliados em bancos do Reino Unido e das Ilhas Maurícias.

Partilhe este artigo