ANGOLA. O cabeça-de-lista da UNITA às eleições gerais de Angola, Isaías Samakuva, admitiu hoje fazer uma coligação pós-eleitoral com os partidos da oposição, nomeadamente com a CASA-CE, “se as condições e as circunstâncias” o exigirem.

“Penso que só há um adversário, que é o MPLA, mas há concorrentes”, disse Isaías Samakuva no decorrer de uma acção de campanha que reuniu algumas centenas de pessoas no mercado 4 de Abril, o maior de Benguela (sudoeste de Angola).

Questionado sobre se os partidos concorrentes poderão vir a ser aliados no futuro, Samakuva respondeu: “naturalmente”.

“Temos, depois das eleições, de ver os resultados e então encontrar uma fórmula que nos permita governar com fôlego, que seja capaz de mudar as coisas”, explicou.

Questionado sobre se admite uma coligação com os outros partidos da oposição, nomeadamente com a CASA-CE de Abel Chivukuvuku, o presidente da UNITA respondeu afirmativamente.

“Desde que as condições, as circunstâncias no momento nos forcem a isso, não hesitaremos”, disse Isaías Samakuva.

Durante o seu discurso à população, com várias partes em umbundo, uma das línguas nacionais de Angola e a mais falada na região, o líder da UNITA fez uma analogia entre Angola e uma linha férrea, numa referência aos Caminhos-de-Ferro de Benguela, os mais importantes do país.

“O país está a andar na linha férrea errada”, disse Samakuva, perante os aplausos da multidão.

“Eu vejo a linha, mas nunca vejo o comboio a andar. Portanto, querer que eu compare Angola com outros países, aqui fico dois, três dias e não vejo o comboio a andar. Por isso, pergunto: a linha está fazer o quê?”

Partilhe este Artigo