ANGOLA. Três candidatos concorrem em Maio à presidência do Partido de Renovação Social (PRS), mas de fora fica o actual líder, Eduardo Kuangana, ausente da corrida depois de 27 anos à frente da terceira maior força política da oposição angolana.

Em declarações hoje à agência Lusa, o coordenador da Comissão Preparatória do IV congresso ordinário do PRS, que se realiza de 29 a 31 de Maio, em Luanda, disse que foram aprovadas as candidaturas de Benedito Daniel, João Baptista Ngandajina e Sapalo António.

Segundo Muxito Muteba, questões de saúde “fizeram com que qualquer intenção” de Eduardo Kuangana concorrer à sua sucessão, “fosse gorada”.

Eduardo Kuangana assume a liderança do partido desde 1990, ano da sua fundação, tendo concorrido nos três processos eleitorais que Angola realizou.

“Concorreu às primeiras eleições, em 1992, e obteve seis deputados, em 2008 igualmente e conquistou oito deputados, e, em 2012, o gráfico inverteu-se, conquistou três deputados”, sublinhou o coordenador da comissão que está a preparar o congresso do PRS.

Nas eleições gerais de 2012, o partido garantiu 98.233 votos, cerca de 1,70% do total.

Benedito Daniel ocupa actualmente o cargo de secretário-geral do partido e a liderança da bancada parlamentar, enquanto João Baptista Ngandajina, membro do Conselho Político e do Comité Nacional do partido, exerceu, até 2012, a função de secretário-geral do PRS, e de vice-ministro nos Ministérios da Indústria e da Ciência e Tecnologia, no Governo de Unidade e Reconciliação Nacional (GURN), de 1997.

O terceiro candidato à liderança do PRS, Sapalo António é actualmente o secretário para o departamento de Economia e Finanças e já foi líder da bancada parlamentar do partido, tendo sido também a nível do GURN vice-ministro da Indústria.

Muxito Muteba frisou que decorrem nesta altura as conferências provinciais em todo o país, que deverão terminar a 30 deste mês.

“Estas conferências visam a renovação de mandatos, a eleição de novos órgãos, assim como a eleição dos delegados ao congresso”, referiu Muxito Muteba.

Acrescentou que a preparação do congresso decorre sem constrangimentos, fazendo parte do passado problemas financeiros para a sua realização, que causou sucessivos adiamentos do conclave.

No congresso, que se realiza três meses antes das eleições gerais de Angola, serão apreciados e aprovados o relatório quinquenal, a Estratégia Eleitoral do partido, o Programa de Governação para o período 2017-2022, as emendas introduzidas ao Programa e Estatutos do partido e a eleição de direcção – Comité Nacional e Presidente.

Relativamente à apresentação da lista de candidatos a deputado nas eleições gerais de Agosto próximo, Muxito Muteba disse que, de acordo com os estatutos do partido, o Comité Nacional é que tem essa competência, devendo assim acontecer na última reunião, antes do congresso.

Lusa

Partilhe este Artigo