ANGOLA. O governo da província de Luanda começa a ensaiar esta semana a faixa exclusiva para autocarros, na Avenida 21 de Janeiro, cuja implementação prevê a educação dos automobilistas sobre como lidar com a situação.

A informação foi hoje avançada pelo director do gabinete provincial de infra-estruturas e serviços técnicos, Osvaldo Amaral, que abordava a implementação do programa alargado de melhoria do tráfego urbano de Luanda e o aumento da velocidade dos transportes colectivos.

Osvaldo Amaral disse que foi feito um plano inicial de quatro vias, que incluem além da Avenida 21 de Janeiro, a Rua da Samba, a avenida Pedro de Castro Van-Dúnem “Loy” e a via de Cacuaco.

“Estamos a adoptar o modelo de fazer a faixa exclusiva para transportes colectivos e nesse momento a [Avenida] 21 de Janeiro já está toda a sinalização feita para o ensaio deste benefício”, referiu, em declarações à rádio pública angolana.

O responsável salientou que durante a implementação do projecto, os automobilistas vão ser educados sobre como proceder, auxiliados também pela polícia, que “já tem um plano preparado como educar e como tratar o cidadão para não usarem a faixa exclusiva para os transportes colectivos”.

A empresa de Transportes Colectivos Urbanos de Luanda (TCUL) recebeu em meados deste mês, do Ministério dos Transportes, 240 novos autocarros, que prevê o transporte diário de mais de 190 mil passageiros.

Na cerimónia de entrega, o ministro dos Transportes de Angola, Augusto da Silva Tomás, referiu que a mobilidade na capital angolana, aponta para a existência de cerca de 450 mil veículos em circulação, a uma velocidade de 7,6 quilómetros, acarretando o tempo médio de viagem de três horas e 20 minutos, sendo o transporte público responsável apenas por 22% das deslocações quotidianas.

Partilhe este Artigo