O Conselho Presidencial da CASA-CE, que hoje esteve reunido, debruçou-se entre outros pontos sobre a convocação, “pelo partido UNITA, de uma manifestação em protesto contra a contratação das empresas INDRA e SINFIC, para prestação de serviços no âmbito das eleições gerais de Agosto de 2017”.

Eis na íntegra o comunicado da CASA-CE:

“1. O Conselho Presidencial da CASA-CE ao tomar conhecimento da convocação pelo Partido UNITA, de uma manifestação marcada para o dia 03 de Junho corrente, considera o facto como expressão do usufruto de um direito consagrado e garantido na Constituição da República de Angola.

2. Neste sentido, o Conselho Presidencial da CASA-CE deseja ao Partido UNITA que a manifestação convocada decorra de forma pacífica e ordeira e conclama as autoridades públicas a cumprirem com o seu dever de assegurar e garantir a protecção que eventos dessa natureza impõem.

3. O Conselho Presidencial da CASA-CE, entende que a participação da CASA-CE numa manifestação, independentemente do autor da mesma, exige uma ampla concertação entre os agentes interessados, o que no caso presente não aconteceu.

4. O Conselho Presidencial da CASA-CE, manifesta plena disponibilidade da CASA-CE, para em conjunto com os demais partidos políticos da oposição, promoverem oportuna e concertadamente acções políticas visando a realização de eleições imparciais, livres, independentes e justas.

5. O Conselho Presidencial da CASA-CE, felicita todas as crianças angolanas pela celebração do dia internacional da criança e manifesta a sua preocupação pelo facto de centenas de milhares de crianças, continuarem sem acesso ao sistema de ensino, votadas ao desamparo, abandonadas à mendicidade e a sua sorte nas ruas das principais cidades do país, etc..

6. O Conselho Presidencial da CASA-CE, constata com bastante preocupação a degradação da condição humana da esmagadora maioria dos cidadãos, sem que, no entanto, se vislumbre qualquer medida do actual governo, no sentido de minimizar a situação premente da escassez dos principais serviços públicos. Entretanto, o Conselho Presidencial da CASA-CE assegura aos angolanos, que o seu governo que resultar das próximas eleições, tudo fará para inverter o actual quadro, adoptando políticas públicas realistas, humanistas e patrióticas.”

Foto: Arquivo

Partilhe este Artigo